Conteúdo publicado há 30 dias

Sánchez diz que Milei não está à altura dos laços entre Espanha e Argentina

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou nesta segunda-feira (20) que o presidente da Argentina, Javier Milei, não está "à altura dos laços fraternos" firmados entre os dois países.

O que aconteceu

Sánchez reiterou suas críticas a Milei e exigiu uma retratação pública após o líder argentino chamar sua esposa, Begoña Gómez, de "corrupta". "Entre governos os afetos são livres, mas o respeito é inalienável. Tenho plena consciência de que quem falou ontem não o fez em nome do povo argentino", declarou o premiê espanhol durante discurso no Fórum Econômico CREO.

Espanha convocou embaixador argentino em Madri para que seja feita retratação. O ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel Albares, anunciou a convocação de Roberto S. Bosch para informá-lo sobre "a gravidade da situação" gerada pela fala de Milei e para "exigir mais uma vez um pedido público de desculpas" a Sánchez e à Gómez.

Chanceler espanhol ressaltou que o país pode romper laços diplomáticos com a Argentina se não houver retratação. No domingo (19), a Espanha convocou sua embaixadora em Buenos Aires, María Jesus Alonso Jiménez, para consultas após as declarações "extremamente graves e sem precedentes" feitas por Milei.

Presidente argentino descarta qualquer tipo de retratação a Sánchez e sua família. "Nenhum pedido de desculpas é necessário. Pelo contrário, acredito que deveria haver vários pedidos de desculpas do governo espanhol pelas coisas que disseram sobre o presidente Milei", declarou o ministro do Interior argentino, Guillermo Francos, ao canal TN.

Entenda o caso

Durante visita à Espanha, Javier Milei criticou o premiê espanhol Pedro Sánchez e chamou a esposa dele de "corrupta". A fala gerou uma crise diplomática entre os dois países e também reações da União Europeia e políticos argentinos.

O antecessor de Milei, Alberto Fernández, disse que o atual líder argentino teve um "desequilíbrio emocional". Fernandez ressaltou que a relação entre Argentina e Espanha sempre foi privilegiada, mas agora, após as falas do presidente argentino, vive seu "pior momento". O peronista também pediu desculpas e prestou solidariedade a Sánchez, Gómez e sua família.

Partido defende política externa 'madura' e 'responsável'. A UCR (União Cívica Radical) lembrou que, em menos de seis meses de governo, Milei já criou crises diplomáticas com Brasil, Colômbia, México, Chile, Equador e, agora, Espanha — países que sempre tiveram uma "relação fraterna" com a Argentina.

Deixe seu comentário

Só para assinantes