Conteúdo publicado há 30 dias

Reino Unido: Premiê convoca eleição antes do esperado e dissolve Parlamento

O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, convocou nesta quarta-feira (22) uma eleição geral para 4 de julho, estabelecendo uma data para um pleito em que as pesquisas indicam que seu Partido Conservador deve perder para o Partido Trabalhista, após 14 anos no poder.

O que aconteceu

Encerrando meses de especulação sobre o momento da eleição, Sunak anunciou do lado de fora de sua residência oficial, 10, Downing Street. A data anunciada é anterior à que alguns esperavam, uma estratégia arriscada para seu partido.

"Hoje falei com sua majestade, o rei, para pedir a dissolução do Parlamento. O rei aceitou este pedido e celebraremos eleições gerais em 4 de julho", anunciou Sunak, debaixo de chuva, às portas de sua residência oficial.

Sunak aproveitou o anúncio para exaltar o Partido Conservador em meio à possibilidade de derrota, segundo o jornal The Guardian. "Não posso dizer o mesmo do Partido Trabalhista [sobre fazer o que é certo] porque não sei o que eles oferecem. E, na verdade, acho que você também não sabe. E isso é porque eles não têm nenhum plano. Não há ação ousada. E, como resultado, o futuro só pode ser incerto para eles".

O atual premiê criticou o líder da oposição, Keir Starmer. "No dia 5 de julho, Keir Starmer ou eu seremos primeiro-ministro. Ele mostrou repetidas vezes que escolherá o caminho mais fácil e fará qualquer coisa para obter o poder".

Após o anúncio, Starmer publicou um vídeo nas redes sociais em que diz que é "tempo de mudança". "A Grã Bretanha é ótima e motivo de orgulho, mas, depois de 14 anos sob os conservadores, nada parece funcionar mais".

Família real reduzirá compromissos em meio à campanha, disse um porta-voz do Palácio de Buckingham, segundo o The Guardian. "A família real irá - de acordo com o procedimento normal - adiar compromissos que possam parecer desviar a atenção ou desviar a atenção da campanha eleitoral. Suas majestades enviam as suas sinceras desculpas a qualquer um daqueles que possam ser afetados como resultado".

Crise entre conservadores

As eleições deveriam ser programadas para antes do final de janeiro de 2025, mas Sunak tinha se limitado a dizer até agora que elas aconteceriam "na segunda metade" deste ano. As pesquisas desastrosas para os conservadores aumentaram a pressão para que o chefe de governo convocasse os eleitores às urnas.

Continua após a publicidade

Boas notícias no nível econômico, incluindo o controle da inflação, teriam convencido convocação do pleito.

Após 14 anos dos conservadores no poder, marcados pelo referendo do Brexit e depois pela sucessão de cinco primeiros-ministros em oito anos, os britânicos parecem determinados a virar a página.

As pesquisas dão aos trabalhistas, de centro-esquerda, cerca de 45% das intenções de voto, bem à frente dos conservadores, relegados para entre 20% e 25%, e do partido anti-imigração e anticlimático Reform UK (12%). Com um sistema simples de votação em cada um dos 650 distritos eleitorais do Reino Unido, tais números representariam uma maioria folgada para os trabalhistas.

Como funcionam eleições

As eleições gerais acontecem supostamente a cada cinco anos. Porém, pelas regras do Reino Unido, o primeiro-ministro pode convocar eleições antecipadas durante o seu mandato. A convocação tem que ser aprovada pelo Parlamento.

Os eleitores são convidados a escolher um representante para seu distrito eleitoral — são 650 no total, com 80 mil eleitores em cada. Cada um dos distritos seleciona seu representante. O candidato com mais votos é eleito como representante do distrito e se torna membro do Parlamento Britânico.

Continua após a publicidade

O primeiro-ministro é escolhido pelos parlamentares do partido vencedor (aquele que reuniu o maior número de cadeiras) e nomeado pelo rei em um ato protocolar.

*Com informações da Reuters, AFP e BBC

Deixe seu comentário

Só para assinantes