Trump desafia Biden para novo debate e intensifica ataques a Kamala

O republicano Donald Trump desafiou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para um novo debate ainda nesta semana, sem moderadores, após o desempenho ruim do democrata no primeiro confronto entre ambos, que aconteceu em junho. Durante um comício na Flórida, Trump também intensificou seus ataques à vice-presidente Kamala Harris.

O que aconteceu

O ex-presidente e atual candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, desafiou o candidato à reeleição Joe Biden para um novo debate. O desempenho de Biden no primeiro confronto entre os dois foi criticado e ele justificou que estava em uma noite ruim.

Em seu desafio, Trump propôs que o encontro acontecesse ainda esta semana e sem moderadores. "Estou oficialmente oferecendo a Joe a chance de se redimir diante de todo o mundo", ironizou Trump durante um comício de campanha em Doral, na Flórida.

O ex-presidente dos EUA chamou Biden de "corrupto" e "dorminhoco" e o desafiou para que ele "possa provar para todos no mundo inteiro que ele tem o que é preciso para ser presidente". Trump também adiantou que acredita que Biden não aceitará o desafio.

Segundo Trump, seu desempenho no último debate foi tão superior ao de Biden que até os moderadores da CNN o elogiaram. Ele também citou a especulação sobre uma possível substituição de Biden na corrida à Casa Branca.

"Foi tão absoluta [a vantagem] que até o partido do Joe quer que ele jogue a toalha e renuncie à presidência após só 90 minutos de performance", disse. "Eles querem o Joe fora da corrida", acrescentou.

Trump disse ainda que é "uma pena" a forma como Biden está sendo tratado, mas alertou para que as pessoas não sintam pena do presidente. "Ele é um cara muito ruim", argumentou.

Ataques a Kamala Harris

Donald Trump também aproveitou a oportunidade para intensificar os ataques à vice-presidente Kamala Harris. Ela é um dos nomes levantados para uma possível substituição de Biden na disputa, ainda que não tenha muito apoio.

Continua após a publicidade

Trump insinuou que Kamala seria tão inepta que os democratas relutam em substituir Biden por ela no topo da chapa. "Se Joe tivesse escolhido alguém minimamente competente, eles o teriam expulsado do cargo anos atrás."

Trump também acusou Kamala de trabalhar com outros democratas para encobrir os supostos problemas de acuidade mental de Biden. O presidente tem dito que tem o vigor e a agudeza mental necessários para o cargo.

Ele disse ainda que o histórico de Kamala prejudicaria suas chances eleitorais. "Não acho que o socialismo californiano de Kamala Harris vá se dar bem com o povo de Doral, o povo de Miami ou o povo da Flórida. Porque na Flórida não gostamos de socialismo, queremos nossa liberdade", afirmou Trump.

A campanha de Biden acusou Trump de mentir sobre Kamala e disse que ele estava tentando desviar a atenção crescente dada ao Projeto 2025, os planos controversos de um grupo conservador para a Presidência caso Trump vença a eleição de 5 de novembro. "Os discursos bizarros e desequilibrados de Trump não impedirão que a vice-presidente Harris defenda o histórico de Biden-Harris e apresente o histórico extremo de Donald Trump", disse porta-voz da campanha de Biden Ammar Moussa.

*Com informações de Reuters e Ansa.

Deixe seu comentário

Só para assinantes