PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Planeta está sufocado por 5 bilhões de toneladas de plástico

Juni Kriswanto/AFP
Imagem: Juni Kriswanto/AFP

Do UOL, em São Paulo

05/06/2018 16h43

Cerca de 5 bilhões de toneladas de lixo plástico estão espalhadas pelo mundo. Há plástico formando montanhas em lixões e ilhas em rios e lagos. O material mata animais marinhos de todos os tamanhos e está até na água mineral que compramos no supermercado, na forma de pedacinhos minúsculos. 

Derivado do petróleo, o plástico nunca se degrada por completo na natureza. O material apenas se quebra em pedaços cada vez menores, em um processo de decomposição que pode levar centenas de anos.

"Estamos acumulando plástico no planeta de tal forma que essa ficará conhecida como a era geológica do plástico", disse a gerente de campanhas da ONU Meio Ambiente no Brasil, Fernanda Daltro. "O impacto é colossal."

São necessários ao menos 450 anos para que uma garrafa de plástico se decomponha. Plásticos chamados biodegradáveis se quebram mais rapidamente, mas também não "desaparecem".

A poluição causada pelo descarte de objetos de plástico é um dos grandes desafios da atualidade. Veja abaixo como o plástico sufocou o planeta e o que é possível fazer para desengasgá-lo. (Com agências de notícias)

  • Cortesia de Caroline Power

    Quase todo plástico vai parar no mar e forma ilhas

    O ambiente mais afetado pelo descarte de plástico são os oceanos. Cientistas estimam que há mais de 5 trilhões de pedaços de plástico flutuando nos mares, e outras 8 milhões de toneladas do material são despejadas no oceano todos os anos, na forma de garrafas, embalagens e outros resíduos plásticos carregados pelos rios e pela chuva. Uma grande parte é arrastada para alto-mar e fica circulando durante anos, até encalhar em alguma praia ou se juntar a uma das seis gigantescas "manchas de lixo" que existem nas regiões centrais dos Oceanos Pacífico, Atlântico e Índico.

  • AFP

    Plástico mata peixes, tartarugas e baleias

    As vítimas mais óbvias são milhares de tartarugas, baleias, golfinhos, aves e outros animais marinhos que morrem pela ingestão de plástico ou presas em redes de pesca descartadas - as chamadas "redes fantasmas", que também são feitas de plástico e levam centenas de anos para se decompor. Uma baleia-piloto morreu na Tailândia com 80 sacos plásticos entalados em seu estômago (foto). Até 2050, 99% das aves marinhas terão ingerido plástico. O lixo prejudica mais de 600 espécies marinhas, 15% delas em extinção.

  • Bobby Yip/Reuters

    Há microplástico em todas as praias do mundo

    A parte mais problemática do lixo plástico é invisível a olho nu: são as partículas microscópicas, conhecidas como "microplástico", partículas que medem menos de 5mm, se misturam ao plâncton e contaminam a cadeia alimentar marinha, podendo chegar ao homem, com efeitos ainda desconhecidos sobre a saúde humana. Pelo menos 51 trilhões de partículas de microplásticos já estão nos oceanos. Estão misturadas à água e à areia de todas as praias do mundo. É possível encontrar microplásticos em cosméticos e produtos de higiene.

  • Ajay Verma/Reuters

    Lixo plástico ocuparia todos contêineres do mundo

    Cerca de 75% das 8,3 bilhões de toneladas de plástico produzidas pelo ser humano desde a invenção do plástico já viraram lixo. Desses resíduos, apenas 20% foram incinerados ou reciclados de algum modo, segundo um estudo publicado em 2017. Os outros 80% (cerca de 5 bilhões de toneladas) estão espalhados pelo planeta, contaminando o solo, os rios, os oceanos e a atmosfera. Não haveria contêineres no mundo para abrigar toda essa quantidade --estima-se que seriam necessários mais de 200 milhões para carregar todo o resíduo plástico, há no máximo 170 milhões hoje.

  • Johannes P. Christo/Reuters

    Quantidade de plástico jogado fora só tem aumentado

    Em todo o mundo, 1 milhão de garrafas de plástico são compradas a cada minuto. Todos os anos são usadas até 500 bilhões de sacolas plásticas descartáveis. Apenas na última década foi produzido mais plástico do que em todo o século passado. Todos os anos, são utilizados 17 milhões de barris de petróleo para produzir garrafas plásticas. E 40% de todo esse plástico utilizado é de uso único. São canudinhos, garrafas, embalagens, cotonetes, copinhos, pratinhos, mexedores de café, hastes para balões, dentre outros objetos, que tocamos por alguns minutos e jogamos no lixo.

  • Channi Anand/AP

    Dá para usar menos plástico

    Para reduzir a produção de lixo plástico, são necessárias mudanças tanto na produção quanto no consumo. O reaproveitamento e o gerenciamento de resíduos são saídas para reduzir a quantidade produzida e evitar o descarte no ambiente. A União Europeia está discutindo uma série de medidas legais de combate ao lixo plástico, entre elas o banimento de produtos descartáveis para os quais há uma alternativa viável. No Brasil, o governo federal assumiu um compromisso voluntário de redução da poluição marinha. Leia mais

  • Noel Celis/AFP

    O que você pode fazer na sua casa e no seu trabalho

    É possível combater a poluição do mundo por plástico adotando algumas ações no dia a dia. Que tal manter uma caneca ou garrafa na mesa do escritório ou dentro da bolsa? Tome direto do copo ou por um canudo reutilizável, como de bambu ou metal. E que tal levar sacolas de tecido e seus próprios potes para comprar frios e produtos a granel? Outras ideias são recolher lixo plástico que encontrar nas praias e pressionar autoridades locais para melhorar a maneira como administram o lixo da sua cidade.

Meio Ambiente