Topo

União Europeia quer que ministros negociem impasses no documento final da Rio+20

Carolina Gonçalves e Renata Giraldi

Da Agência Brasil, no Rio de Janeiro

19/06/2012 01h34

A União Europeia (UE) defendeu no fim das negociações em torno do texto da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, que o assunto seja discutido no âmbito de ministros de Estado. Por enquanto, são os negociadores, em geral embaixadores e diplomatas de carreira, além de especialistas, que estão encarregados de alinhavar o documento final.

Porém, os europeus resistem a aceitar as propostas apresentadas pelo Brasil, principalmente as que se referem à alocação de mais recursos e a de definir, em detalhes, metas e compromissos assumidos por todas as nações para os próximos anos. Em nota, divulgada esta noite, os europeus elogiam os esforços brasileiros, mas insistem que o tema deve ficar à cargo dos ministros.

“Nesta fase final, os nossos colegas ministeriais estão em melhor posição para alcançar um acordo político com a substância necessária para trazer o mundo para um futuro sustentável", ressaltou o texto assinado pela ministra de Meio Ambiente da Dinamarca, Ida Auken, e pelo comissário de Meio Ambiente, Janez Poto?nik.

Na tentativa de evitar um mal-estar com os negociadores brasileiros, os europeus reconheceram os esforços do governo brasileiro. Também destacam, no comunicado, que os negociadores do bloco estão envolvidos de forma positiva e construtiva nas negociações.

“Permanecemos comprometidos, durante o tempo que for preciso, para o alcance de resultados concretos e ambiciosos das negociações da Rio+20”, acrescentaram Auken e Poto?nik, na nota. As negociações em torno da conclusão do documento ainda permanecem. A previsão é que se estendam pela madrugada.

Mais Meio Ambiente