Nova York processa 5 petroleiras por papel no aquecimento global

  • Getty Images

A cidade de Nova York anunciou que vai vender US$ 5 bilhões em investimentos em combustíveis fósseis e que processou cinco companhias de petróleo por seu suposto papel no aquecimento do planeta.

O desinvestimento ocorrerá após uma análise do impacto de tal decisão e sua revisão legal, disse na quarta-feira (10) o prefeito democrata, Bill de Blasio, destacando que Nova York foi a primeira grande cidade americana a tomar esta iniciativa.

Esses ativos, que seriam vendidos dentro de cinco anos no caso de validação após análise, fazem parte da carteira de cinco fundos de pensão municipais que asseguram a aposentadoria de professores, funcionários municipais, policiais, bombeiros e funcionários administrativos das escolas da cidade.

No total, os cinco fundos controlam US$ 189 bilhões, dos quais aproximadamente US$ 5 bilhões são investidos em 190 companhias ativas em combustíveis fósseis.

Dirigimos também nossa luta contra as mudanças climáticas para os grupos de energias fósseis, que conhecem seus efeitos e enganaram conscientemente o público para proteger seus rendimentos

Bill de Blasio, prefeito de Nova York


Paralelamente, de Blasio anunciou em uma conferência de imprensa que a cidade apresentou um processo ante a justiça civil federal contra cinco gigantes do petróleo - BP, Chevron, ConocoPhillips, ExxonMobil e Shell - por sua suposta responsabilidade nas mudanças climáticas.

A ação, à qual a AFP teve acesso, não especifica montantes.

A indenização por danos eventualmente estabelecidos pela justiça contribuiriam para o financiamento de medidas tomadas pela cidade para lutar contra as consequências das mudanças climáticas, anunciou o município, que já lançou um programa de investimentos de US$ 20 bilhões.

"A ExxonMobil recebe favoravelmente qualquer tentativa de responder às mudanças climáticas", indicou a empresa à AFP.

"Este tipo de ação legal (...) contra uma indústria que oferece produtos nos quais todos confiamos para que a economia funcione e para viver no dia a dia não é uma", ressaltou.

A Chevron denunciou uma ação "sem fundamento factual ou jurídico" que "não fará nada para responder à questão séria das mudanças climáticas".

A Shell estimou que as mudanças climáticas devem ser enfrentadas "com políticas públicas razoáveis e mudança cultural, (...) e não nos tribunais".

Consultada pela AFP, a ConocoPhillips se negou a comentar o anúncio. A BP não respondeu imediatamente as solicitações da AFP.

"Nova York está defendendo as gerações futuras e o nosso planeta" ao decidir liquidar seus investimentos em combustíveis fósseis, disse de Blasio, citado no comunicado.


"Lutamos pela nossa sobrevivência e não podemos contar com que outros farão isso por nós", acrescentou, detalhando que o furacão Sandy, que em 2012 deixou 40 mortos na cidade e custou US$ 42 bilhões ao estado de Nova York, tornou a luta contra o aquecimento global uma prioridade.

No final de dezembro, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse que queria congelar os investimentos dos fundos de pensão de funcionários estatais em energias fósseis, e anunciou um plano de desinvestimento.

Em 2015, o parlamento da Califórnia aprovou uma lei que obriga os dois principais fundos de pensão públicos do estado a vender seus ativos ligados ao carvão.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos