PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro: Greta "faz showzinho" e ambientalistas têm "sanha" por críticas

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

11/12/2019 14h13

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje que a ativista ambiental Greta Thunberg "está fazendo o seu showzinho" na conferência ambiental COP-25, que se realiza na Espanha. Ele voltou a chamar a garota de 16 anos de "pirralha" e a reclamar do fato de suas opiniões serem noticiadas pela imprensa com destaque. Ela foi eleita "personalidade do ano" pela revista 'Time'.

Hoje, Bolsonaro recebeu uma placa dourada e o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI) do presidente da entidade, Robson Andrade, que foi preso este ano pela Polícia Federal. Em um vídeo exibido pelos empresários, falas antigas do presidente da República mencionavam os empreendedores vistos como "bandidos" e sob ameaça de prisão por juízes.

Em seu discurso aos industriais, Bolsonaro criticou os defensores do meio ambiente da COP-25. "Tem até uma pirralha que tudo o que ela fala a nossa imprensa, a nossa imprensa, pelo amor de Deus, dá um destaque enorme. Ela está agora fazendo o seu showzinho lá na COP 25. Mas tudo bem. Eu acredito nós temos, ao trabalhar em equipe, meios de mudar o Brasil."

Segundo o presidente o governo é acusado de maltratar o meio ambiente como se isso fosse uma "política econômica". Ele disse que mudou decreto que proibia a plantação de cana-de-açúcar na Amazônia.

"Espero que o pessoal da COP-25 não venha nos acusar de querer substituir a floresta amazônica por um grande canavial", reclamou Bolsonaro. "A sanha, a maneira como nos atacam nessa questão ambiental virou uma política econômica. O único pais do mundo que agride o meio ambiente, que faz mal ao meio ambiente é o Brasil, segundo eles. Quando é exatamente o contrário."

Ele foi irônico com a preservação ambiental na Europa. "Ninguém tem uma área tão preservada como a nossa. Pergunte o tamanho da mata ciliar dos europeus. Pergunte em palmos, não em metros."

Bolsonaro destaca discurso de Fernandez na Argentina

Diante de uma plateia de empresários que o elogiavam a todo momento, Bolsonaro destacou que o Brasil foi o único país citada no discurso de posse do novo presidente da Argentina, Alberto Fernandéz. Ele fez um aceno à diplomacia e à economia com o país vizinho, destacando que enviou o vice-presidente Hamilton Mourão para a posse, contrariando indicação inicial que desprezaria a posse do líder de esquerda.

"Peço a Deus que dê tudo certo na Argentina", afirmou Bolsonaro inicialmente. Ele defendeu o acordo do Mercosul com a União Europeia. "O Brasil tem muito a oferecer à Argentina. O nosso governo só estará feliz quando todos os nossos irmãos na América do Sul viverem em liberdade e democracia."

Em vídeo, Bolsonaro menciona empresários vistos como 'bandidos'

Na CNI, o presidente recebeu uma homenagem devida ao "reconhecimento" pelo "esforço do governo no avanço de pautas que tornam o Brasil mais moderno e competitivo", de acordo com comunicado dos empresários.

Ao iniciar sua fala, o presidente da entidade, Robson Andrade, exibiu um vídeo. Nele, Bolsonaro menciona a Medida Provisória apelidada de "Liberdade Econômica". Na ocasião, o presidente afirmou que a mudança era necessária para que, se um negócio "não der certo, ele [o empresário] desiste e não vá fugir da Justiça para não ser preso". "A grande mídia no Brasil tem que parar de olhar vocês como bandidos", afirmou Bolsonaro, em outro trecho do vídeo. "Ser patrão no Brasil é ser bandido"

Andrade foi preso na Operação Fantoche, da Polícia Federal em fevereiro. Ele foi solto junto com outros empresários depois. Eles são suspeitos de participarem de esquema de contratos superfaturados do Ministério do Turismo com o sistema "S". Todos negam as acusações.

Andrade disse que Bolsonaro, "tem cumprido as promessas". "Presidente, nós confiamos no seu governo e no Brasil", afirmou.

No vídeo exibido e em um comunicado distribuído à imprensa, a CNI destaca o que considera bons resultados economia. Cita a reforma da Previdência, a menor taxa Selic da história, o aumento do faturamento da indústria e os recordes na Bolsa de Valores e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), de 0,6% no terceiro trimestre.

Sobre o desemprego, que alcança mais de 12 milhões de brasileiros, a entidade enfatiza o fato de terem sido criadas 70 mil vagas com carteira assinada em outubro. A CNI ainda destaca os acordos comerciais com o Mercosul e a União Europeia.

Andrade disse que apoia totalmente a Medida Provisória 905, que cria uma nova minirreforma trabalhista. Entre outras mudanças, ela permite a contração de jovens com carteira, mas com menos direitos trabalhistas e, portanto, menos custos para os empresários.

Meio Ambiente