PUBLICIDADE
Topo

Mourão será convidado pelo Senado para explicar o Conselho da Amazônia

O presidente em exercício, Hamilton Mourão - Leco Viana/TheNews2/Estadão Conteúdo
O presidente em exercício, Hamilton Mourão Imagem: Leco Viana/TheNews2/Estadão Conteúdo

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

13/02/2020 14h52

O vice-presidente da República, general Antônio Hamilton Mourão (PRTB), será convidado pela Comissão de Relações Exteriores do Senado a explicar o que é o Conselho da Amazônia e quais são as políticas do governo federal pensadas para a região.

Um requerimento para audiência pública do colegiado em conjunto com a Comissão de Meio Ambiente com a presença de Mourão foi aprovado hoje. O pedido é de autoria do senador Marcio Bittar (MDB-AC).

Ainda não há data para o convite. Por não se tratar de uma convocação, Mourão não é obrigado a comparecer ao Senado.

A criação do Conselho da Amazônia e de uma Força Nacional Ambiental foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas redes sociais em 21 de janeiro deste ano após uma série de críticas ao posicionamento dele perante o meio ambiente.

O decreto que cria o conselho foi assinado ontem em cerimônia no Palácio do Planalto. Segundo Mourão, que coordenará o grupo composto também por ministros, será possível articular melhor as ações do governo federal na Amazônia.

No entanto, a composição do conselho vem sofrendo fortes críticas dos governadores pelo Planalto ter deixado eles de fora. Para eles, não é possível nem correto formular ações para a Amazônia sem ouvir os mandatários estaduais, que conheceriam mais a fundo os problemas locais. Há ainda quem critique eventual falta de meta e orçamento para a medida.

Hoje mais cedo, Bolsonaro afirmou que a participação de governadores "não resolve nada". "Se você quiser que eu bote governadores, secretários de grandes cidades, pode ter 200 caras", iniciou ele, na porta do Palácio da Alvorada. "Sabe o que vai resolver? Nada. Nada. Tem bastante ministro."

Meio Ambiente