PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Polícia investiga quatro fazendas por queimadas no Pantanal, diz delegado

Imagens mostram devastação do fogo na região do Pantanal - Mauro Pimentel/AFP
Imagens mostram devastação do fogo na região do Pantanal Imagem: Mauro Pimentel/AFP

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/09/2020 17h11

As queimadas no Pantanal estão sendo investigadas pela Polícia Federal. De acordo com o delegado Daniel Rocha, em entrevista ao CNN 360º, quatro proprietários estão sendo investigados no momento.

"Nossa investigação analisa alguns focos dos meses de junho e julho. Os focos não têm como não terem sido ocasionados por ação humana. Estamos num período de seca, não tem intendência de raios para provocar essas queimadas naturais, então ação humana teve. Nós temos que identificar se ela é ação dos fazendeiros ou de terceiros", explicou o delegado federal.

Ainda, de acordo com Rocha, as investigações identificaram que alguns dos focos iniciaram em regiões distantes e pouco habitadas de Corumbá e no interior de propriedades rurais. "Isso é um indício que o fogo pode ser utilizado como manejo de limpeza de pastagem, mas isso só com o decorrer da investigação para provar", disse.

O delegado afirmou que os responsáveis podem responder por crimes ambientais.

"Além dos crimes de incêndio e poluição, também é crime de dano direto e indireto à unidade de conservação, uma vez que as áreas são próximas ao Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense. E crimes de danos de área e preservação permanente porque os focos de queimada atingiram a mata ciliar do rio Paraguai, que é um bem da união", explicou.

Na tarde de ontem, o governo federal anunciou a liberação de R$ 3,8 milhões para o estado do Mato Grosso do Sul com o intuito de apoiar os esforços para o cessar do fogo.

Meio Ambiente