PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Governo federal libera R$ 3,8 milhões para ajuda emergencial no Pantanal

Foco de incêndio no Pantanal, na região de Poconé, no Mato Grosso  - Amanda Perobelli/Reuters
Foco de incêndio no Pantanal, na região de Poconé, no Mato Grosso Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/09/2020 18h26Atualizada em 15/09/2020 19h56

O Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, anunciou hoje a liberação de R$ 3,8 milhões para ações emergenciais no Mato Grosso do Sul devido aos incêndios na região do Pantanal. O acordo foi firmado hoje com a presença do governador do estado Reinaldo Azambuja e a Ministra da Agricultura Tereza Cristina. O repasse se soma a outros R$ 562,8 mil já transferidos pela União para auxiliar no enfrentamento às chamas.

"Por determinação do presidente Jair Bolsonaro, estamos fazendo todos os esforços para apoiar os estados do MS e MT no enfrentamento ao incêndio que atinge o pantanal. Em Campo Grande - MS, acabamos de assinar a liberação de R$ 3,8 milhões em recursos para ações emergenciais", comunicou o ministro do Desenvolvimento Regional.

"Desde o final de semana, mobilizamos o Secretário Nacional de Defesa Civil, Cel. Alexandre Lucas, que está em Campo Grande para apoiar o estado na decretação de emergência e na elaboração dos planos de trabalho. Tudo para que os recursos cheguem o mais rápido possível ao estado."

Marinho ainda afirmou que a ministra da Agricultura também está articulando ações integradas com outros ministérios "para apoiar os produtores rurais afetados pelo incêndio".

Em entrevista à CNN, o governador do estado Reinaldo Azambuja afirmou que o Pantanal está sofrendo "a maior estiagem dos últimos 50 anos" e que a ajuda financeira do governo será empregada em contratação de horas voo, em combustível e máquinas e equipamentos. De acordo com comunicado emitido pelo Ministério, os recursos vão custear 37 ações a serem implementadas durante 90 dias.

Segundo dados apresentados pelo Governo de Mato Grosso do Sul, satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) captaram mais de 1,3 mil focos de calor no estado. Corumbá, Alcinópolis e Pedro Gomes são as cidades mais atingidas.

Meio Ambiente