PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Sistema Cantareira: volume cai quase 2 pontos em outubro e chega a 28,2%

Área próxima ao reservatório do Rio Jacareí: em nenhum mês deste ano as chuvas atingiram a média esperada - TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO
Área próxima ao reservatório do Rio Jacareí: em nenhum mês deste ano as chuvas atingiram a média esperada Imagem: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO

Letícia Mutchnik

Do UOL, em São Paulo

16/10/2021 04h00

O volume de água armazenado no Sistema Cantareira baixou mais 0,8 pontos percentuais nesta sexta-feira (15), atingindo 28,2% da capacidade. O nível teve queda inferior a 1 ponto percentual pela primeira vez nos últimos dois meses (a última vez foi em 3 de setembro, quando o nível caiu 0,9 p.p.). Na sexta-feira (8) anterior, o índice era de 29%. As informações são da Sabesp, a companhia de saneamento básico do estado.

Apesar de uma queda menor registrada nesta semana, a situação ainda é de risco, especialmente se considerarmos que o Cantareira opera em estado de alerta desde 6 de setembro —quando chegou a menos de 35% de sua capacidade.

Escala

A escala da Sabesp para medir o volume útil dos reservatórios e classificar a gravidade da situação aponta como normal um nível igual ou maior que 60%. O estado é considerado de atenção quando o nível fica entre 40% e 60%, de alerta quando está entre 30% e 40% e de restrição entre 20% e 30%.

Apesar do nível atual entre 20% e 30%, que corresponde à fase de restrição, o estado atual é considerado de alerta porque, segundo as regras da Agência Nacional de Águas (ANA), só será considerada a fase de restrição se o mês acabar abaixo de 30% da capacidade total.

Os demais mananciais que abastecem a região metropolitana de São Paulo também estão com o volume inferior ao de 2013, apesar de um aumento nas últimas semanas.

Veja o nível de outros reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo, segundo a Sabesp:

  • Alto Tietê: 38,3% (-0,9% em relação à semana passada)
  • Guarapiranga: 46% (+0,7%)
  • Cotia: 47% (-1,2%)
  • Rio Grande: 78% (+1,2%)
  • Rio Claro: 35,9% (-0,5%)
  • São Lourenço: 53,7% (+1%)

Meio Ambiente