Ser 'candidato de Lula' turbina nome de Haddad, diz pesquisa de corretora

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • Nelson Antoine -24.jan.2018/UOL

    Haddad foi anunciado como vice de Lula na chapa do PT para a eleição presidencial

    Haddad foi anunciado como vice de Lula na chapa do PT para a eleição presidencial

Nos levantamentos em que o nome de Fernando Haddad (PT) é citado como candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Planalto, o ex-prefeito paulistano ganha cerca de dez pontos percentuais em relação ao cenário em que seu nome não é atrelado ao líder petista. Na noite de domingo (5), Haddad, que é coordenador do programa de governo de Lula, foi anunciado como vice na chapa encabeçada pelo ex-presidente.

Apesar de ter sido oficializado como candidato do PT no último sábado (4), Lula está inelegível em função da condenação em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no processo do tríplex. Em setembro, Haddad deverá assumir a cabeça de chapa caso o PT não consiga reverter a inelegibilidade de Lula junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A transferência de votos de Lula para Haddad foi testada em pesquisas encomendadas pela corretora XP e realizadas, semanalmente, pelo Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas). Os levantamentos são destinados a investidores do mercado financeiro.

No último levantamento, divulgado na sexta-feira (3), o ex-prefeito aparece com 2% das intenções de voto quando seu nome não é ligado a Lula. Ele fica atrás de Jair Bolsonaro (PSL, com 22%), Marina Silva (Rede, 11%), Ciro Gomes (PDT, 10%), Geraldo Alckmin (PSDB, 10%), Alvaro Dias (Podemos, 5%), e empatado com Manuela D'Ávila (PCdoB) e Henrique Meirelles (MDB).

Ao ser apontado como candidato do ex-presidente, Haddad salta para 13%, e fica atrás apenas de Bolsonaro, que registra 20%. O terceiro lugar é dividido entre Marina e Alckmin, com 9% cada um.

A pesquisa, registrada no TSE como BR-06820/2018, ouviu 1.000 pessoas por telefone entre os dias 30 de julho e 1º de agosto. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Nas semanas anteriores, o salto de "Haddad apoiado por Lula" nas pesquisas oscilava entre 9 e 11 pontos percentuais. O instituto começou a avaliar a transferência de votos de Lula para Haddad semanalmente a partir do início de junho. Sozinho, Haddad nunca deixou a faixa de 2% de intenções de voto.

Em suas pesquisas, outros institutos não chegaram a fazer análises com Haddad como candidato de Lula. A pergunta usual era se o eleitor, em um cenário sem o ex-presidente, apoiaria um candidato indicado por Lula.

Em vídeo divulgado nesta segunda-feira (6) nas redes sociais de Lula, Haddad disse ter certeza que "o brasileiro vai estar cada vez mais engajado nessa campanha". "Se Deus quiser, a Justiça vai ser feita, e ele vai estar entre nós."

Lula será registrado candidato em 15 de agosto. Apenas a partir dessa formalização é que o TSE irá analisar a candidatura do ex-presidente.

Entenda a polêmica sobre a candidatura de Lula ao Planalto

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos