Bolsonaro diz que problemas nas urnas impediram vitória no 1º turno

Do UOL, em São Paulo

Em seu primeiro pronunciamento após a confirmação de que haverá um segundo turno, o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) voltou a questionar as urnas eletrônicas e disse que, se não houvessem ocorridos problemas ao longo da votação, teria sido eleito presidente neste domingo (7), já no primeiro tuno. Bolsonaro vai disputar o segundo turno com Fernando Haddad (PT).

"Recebemos muitas críticas de urnas. Algumas pessoas votavam para governador e se encerrava o voto. Outras apertavam o 1 e aparecia o candidato da esquerda [Haddad]",' disse Bolsonaro durante uma transmissão ao vivo transmitida em seu perfil no Facebook.

Se esse problema não tivesse ocorrido, se tivesse confiança no sistema eletrônico, já teríamos o nome do novo presidente. O que está em jogo é a nossa liberdade

Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência

Vídeo de fraude em urna divulgado é falso, diz TRE-MG

Ao longo do dia circulou pelas redes sociais um vídeo de uma suposta urna em que, ao ser digitado o número "1", a urna completaria automaticamente com o "3", para formar o número do candidato do PT.

Ainda durante o dia, a Justiça Eleitoral afirmou que o vídeo é falso e que não há registro de urna com esse problema.

Minutos após a fala de Bolsonaro, a ministra Rosa Weber, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), afirmou que eventuais acusações de fraudes nas urnas eletrônicas devem ser enfrentadas com "tranquilidade".

Segundo Rosa Weber, o TSE atuará nesses casos apenas de houver representação formal à Justiça.

"Preocupação sempre nós temos, mas nós temos que enfrentar nossas preocupações com tranquilidade. Num estado democrático de direito, o bom é isso, que as pessoas possam se expressar", disse. "As pessoas têm direito a ter suas opiniões", afirmou a ministra.

TRE explica como vídeo com suposta fraude em urna foi manipulado

Aceno ao eleitorado nordestino

O pronunciamento de Bolsonaro foi feito ao lado de Paulo Guedes, seu guru econômico e provável ministro da Fazenda caso seja eleito. "Devemos continuar mobilizados, não podemos nos recolher. Faltam três semanas para o segundo turno", declarou.

Bolsonaro aproveitou sua fala para fazer um aceno ao eleitor do Nordeste, única região onde foi derrotado por Haddad. Com isso, ele reforça a estratégia de se aproximar dos nordestinos, adotada nesta reta final de campanha.

"O que quero para o Nordeste é que uma região que através do seu povo, humilde, conservador e trabalhador, fique livre da mentira, fique livre da coação que sempre existe por parte do PT. Sempre existiu por parte do PT por ocasião e por eleições. Eles fazem um verdadeiro terrorismo desses que pertencem ao grupo de gente mais humilde no Brasil", destacou.

Nordestino é tanto brasileiro como outro qualquer

Bolsonaro, dirigindo-se ao eleitor da única região em que perdeu de Haddad no primeiro turno

O candidato do PSL também atacou o PT e adotou um discurso de união para os seus eleitores diante do adversário.

"Não vai ser fácil este segundo turno, eles têm bilhões para gastar. Eles quebraram grandes empresas, afundaram bancos. Eles têm dinheiro. Eles têm também parte da mídia favorável aos seus propósitos. A gente lamenta que parte da imprensa brasileira não abriu os olhos. O que eles esperam com a volta do PT ao poder? Controle social da mídia! Temos que acreditar no nosso Brasil", declarou.

O deputado federal também repetiu a estratégia de se dirigir ao público feminino, garantindo "segurança e paz às mães" caso seja eleito. Este discurso ganhou uma atenção especial especialmente após a mobilização da campanha #EleNão, protestos que reuniram milhares nas ruas pelo Brasil e pelo exterior no último dia 29 de setembro.

Na última quinta-feira, porém, ele minimizou o movimento ao dizer que ele estava restrito apenas a "artistas que há muito tempo vêm mamando na Lei Rouanet".

O líder deste primeiro turno terminou a transmissão com um discurso de agradecimento. "Temos como indicar pessoas sérias, competentes para dar umas respostas aos anseios, aos nossos objetivos. (...) Aos quase 50 milhões que me deram voto hoje, meu muito obrigado. Juntos reconstruiremos nosso Brasil. Até a vitória", destacou o candidato do PSL.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos