PUBLICIDADE
Topo

Política

Para defesa de Dirceu, condenação por corrupção ativa não implicará na eventual condenação por lavagem de dinheiro

Fernanda Calgaro

Do UOL, em Brasília

09/10/2012 20h53Atualizada em 09/10/2012 21h38

Para a defesa do ex-ministro José Dirceu, a sua condenação por corrupção ativa não implica necessariamente na sua eventual condenação pelo crime de lavagem de dinheiro, a ser julgada nas próximas semanas. "No tocante à eventual relação do julgamento de hoje com à acusação formação de quadrilha, entendo que não [haverá implicação] e quero aguardar a manifestação do Supremo Tribunal Federal", afirmou o advogado José Luís Oliveira Lima nesta terça-feira (9).

Advogado de Dirceu diz que STF fez análise equivocada

Segundo o advogado, a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) será respeitará e ele aguardará a publicação do acórdão para analisar se cabe entrar com algum embargo. "Apesar de não concordar com a decisão, eu respeito a decisão do Supremo Tribunal Federal. Entendo que o olhar que os ministros deram para os autos no tocante à acusação de hoje, que é a de corrupção ativa, não foi o olhar da defesa. O olhar da defesa, as provas levavam a outro desfecho, ou seja, a absolvição e o reconhecimento da inocência de José Dirceu."

Indagado se houve uma condenação sem provas, respondeu: "No entender da defesa, o Supremo fez uma análise equivocada da ação penal 470". O advogado nega, porém, que tenha sido perseguição política. “Foi apenas um olhar diferente para os autos e a divergência faz parte em um Estado de Direito.”

O advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende José Genoino, não quis comentar a condenação dele por corrupção ativa. "Ante a perplexidade da decisão do STF, a defesa se manifesta com o silêncio", disse.

A defesa de Simone Vasconcelos, ex-funcionária da agência SMP&B, lamentou a condenação dela por corrupção ativa. "Respeitamos a decisão do STF, mas lamentamos", afirmou o advogado Leonardo Yarochewsky. Segundo ele, Simone está muito abatida e com medo de ir para a cadeia. "Temos que ser realistas, mas fica difícil fazer previsões."

Yarochewsky ressalta que muitos dos testemunhos usados para absolver Geiza Dias, subordinada de Simone, não foram considerados no caso da sua cliente. Ele afirma ainda que o depoimento de Simone foi usado na condenação de outros réus e que espera que os ministros levem isso em conta na hora de definir a pena dele. "Minha expectativa é que a participação menor dela seja considerada na dosimetria."

UOL também tentou contato com a defesa do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, do publicitário Marcos Valério, de seus ex-sócios Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, de Rogério Tolentino, advogado de Valério, condenado por corrupção ativa, mas sem sucesso.

A reportagem procurou os advogados de Geiza Dias, ex-funcionária da SMP&B, e do ex-ministro dos Transportes, Anderson Adauto, mas não conseguiu localizá-los.

Presente à sessão, o advogado Luiz Francisco Corrêa Barbosa, que defende Roberto Jefferson, ironizou o fato de que a defesa do deputado federal Valdemar Costa Neto afirmou que irá recorrer a "todas as instâncias do planeta" contra a sua condenação no STF por corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. "Espero que ele também recorra à Liga da Justiça para aproveitar enquanto o Batman é o presidente."

Política