Topo

Condenada a 16 anos, ex-presidente do Rural não poderá trabalhar em bancos até 2046

Sérgio Lima/Folhapress
Kátia Rabello, presidente do Banco Rural na época do mensalão, foi condenada a mais de 16 anos Imagem: Sérgio Lima/Folhapress

Camila Campanerut*

Do UOL, em São Paulo

2012-11-12T19:38:34

2012-11-14T16:29:38

12/11/2012 19h38Atualizada em 14/11/2012 16h29

A ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello foi condenada pelo STF (Supremo Tribunal FederaL) nesta segunda-feira (12), no julgamento do mensalão, a 16 anos e oito meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, gestão fraudulenta e evasão de divisas, além de multa que passa de R$ 1,5 milhão.

A ré ainda perderá, em favor da União, todos os bens oriundos dos crimes e não poderá trabalhar no sistema financeiro pelo dobro do tempo da pena que recebeu, ou seja, por 33 anos e quatro meses --até 2046.

Na época do mensalão, a ré dirigia a instituição que, segundo a decisão do Supremo, colaborou para que o grupo de Marcos Valério --considerado o operador do mensalão-- pudesse ocultar a origem ilícitas de R$ 73 milhões desviados do fundo Visanet, controlado pelo Banco do Brasil.

"Katia Rabello ajudou a colocar o seu grupo empresarial à disposição dos membros do grupo criminosa e ajudou a colocar em risco o próprio regime democrático (...) em violação à Constituição Federal”, afirmou o relator Joaquim Barbosa.

Penas de Kátia Rabello

Formação de quadrilha2 anos e 3 meses
Lavagem de dinheiro5 anos e 10 meses + 166 dias-multa
Gestão fraudulenta4 anos de prisão + 120 dias-multa
Evasão4 anos e 7 meses + 100 dias-multa

Pelo crime de lavagem de dinheiro, Rabello foi condenada cinco anos e dez meses e 166 dias-multa. Já por formação de quadrilha, a pena foi de dois anos e três meses. Para o crime de gestão fraudulenta, a condenação imposta foi de quatro anos, além de 120-dias multa. Por fim, Rabello pegou quatro anos e sete meses, além de 100 dias-multa, pelas operações de lavagem de dinheiro. No caso de Rabello, os dias-multa aumentaram de 10 para 15 salários mínimos. "Atento às excelentes condições econômicas da ré, eu fixo o dia-multa em 15 salários mínimos, vigentes à época dos fatos", afirmou Lewandowski.

“O motivo [do crime de lavagem de dinheiro] era a intenção de obter recursos indevidos para o Banco Rural do qual era presidente e sócia, graças à ação do senhor Marcos Valério junto ao governo federal", sustentou hoje o relator.

*Colaboraram Guilherme Balza e Janaina Garcia, em São Paulo

bens de Katia obtidos por conduta ilícita serão confiscados

PENAS DOS CONDENADOS PELO MENSALÃO

QuemCrimesPenas
 NÚCLEO PUBLICITÁRIO 

Marcos Valério
Formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas40 anos, 1 mês e 6 dias de prisão + multa de R$ 2,8 milhões. LEIA MAIS

Ramon Hollerbach
Evasão de divisas, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadriha29 anos, 7 meses e 20 dias de prisão + multa de R$ 2,8 milhões. LEIA MAIS

Cristiano Paz
Formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro25 anos, 11 meses e 20 dias de prisão + multa de R$ 2,5 milhões. LEIA MAIS

Simone Vasconcelos
Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e evasão de divisas12 anos, sete meses e 20 dias de prisão + multa de R$ 374 mil. LEIA MAIS
 NÚCLEO POLÍTICO 

José Dirceu
Corrupção ativa e formação de quadrilha10 anos e 10 meses de prisão + multa de R$ 676 mil. LEIA MAIS

José Genoino
Corrupção ativa e formação de quadrilha6 anos e 11 meses de prisão + multa de R$ 468 mil; LEIA MAIS

Delúbio Soares
Corrupção ativa e formação de quadrilha8 anos e 11 meses de prisão + multa de R$ 300 mil. LEIA MAIS
 NÚCLEO FINANCEIRO 

Kátia Rabello
Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e evasão de divisas16 anos e 8 meses de prisão + multa de R$ 1,5 milhão. LEIA MAIS

Entenda o dia a dia do julgamento

Mais Política