Em entrevista ao SBT, Lula diz que se muda para Curitiba se for preciso

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse em entrevista ao telejornal "SBT Brasil" que, se for preciso, se muda para Curitiba para acompanhar os depoimentos de suas testemunhas de defesa em processo relativo à Operação Lava Jato, sob a análise do juiz Sergio Moro.

Em decisão divulgada na segunda (17), Moro exigiu que Lula acompanhasse todos os 87 depoimentos solicitados pela defesa. Na terça (25), em novo despacho, o juiz informou que poderia rever a exigência caso a defesa do ex-presidente também reavaliasse o número de testemunhas convocadas. Mas Lula não deu sinais, na entrevista, de que isso acontecerá.

As 87 testemunhas solicitadas pelos advogados de Lula devem depor no processo que julga a denúncia de que a Odebrecht teria comprado, por meio de laranjas e em benefício do ex-presidente, um apartamento em São Bernardo do Campo (SP) e um prédio em São Paulo que seria usado como sede do Instituto Lula. O processo corre na 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba, da qual Moro é titular.

A defesa do ex-presidente nega qualquer irregularidade. Na época em que Moro aceitou a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) sobre o caso, seus advogados disseram que Lula jamais foi beneficiado pelos imóveis citados e nunca solicitou vantagens indevidas.

"Não tem barganha"

Em decisão divulgada na segunda (17), Moro exigiu que Lula acompanhe todos os 87 depoimentos. Na terça (25), em novo despacho, o juiz informou que poderia rever a exigência caso a defesa do ex-presidente também reavaliasse a convocação de tal número de testemunhas. Mas Lula não deu sinais, na entrevista, de que isso acontecerá.

"Eu acho que não tem barganha. Fez essa proposta de barganha para diminuir [o número de testemunhas], e que assim ele não exigirá minha presença, para mim não tem problema. Se for necessário, eu mudo para Curitiba, e fico lá o tempo necessário para esperar o julgamento. A gente não vai abrir mão de uma testemunha que nós consideramos importante para esclarecer a opinião pública", disse Lula.

O ex-presidente vai depor a Moro no dia 10, em outro processo, no qual é réu por ocultação de bens. Lula é acusado de ser o real dono de um tríplex no Guarujá (SP), o que sua defesa nega.

"Agora quero ser candidato"

Ainda na entrevista ao "SBT Brasil", Lula confirmou que na eleição de 2018 quer ser novamente candidato a presidente, cargo que ocupou entre 2003 e 2009. Segundo o petista, não há nada juridicamente que o impeça de entrar na disputa. No momento, ele é réu em cinco ações de três operações diferentes: Lava Jato, Zelotes e Janus. 

"Eu vou ter condições jurídicas de ser candidato, porque não há nenhuma razão jurídica para evitar que eu seja candidato. Aí seria melhor eles terem coragem de dizer o seguinte: 'Olha, vamos dar o segundo golpe nesse país e não vai ter eleição em 2018'", afirmou. "Na situação em que está, eu serei candidato. Eu agora quero ser candidato."

Lula diz que não há razão jurídica para não ser candidato

Uma versão editada da entrevista, concedida ao jornalista Kennedy Alencar, vai ao ar no "SBT Brasil" desta quarta (26), a partir das 19h40 (horário de Brasília). A íntegra será exibida na madrugada de quarta para quinta-feira no jornal "SBT Notícias", a partir da 1h. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos