Líder do PT na Câmara chama condenação de Lula por Moro de "decisão política"

Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), declarou que a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelo juiz federal Sergio Moro, nesta quarta-feira (12), foi uma "decisão política" para tirá-lo das eleições do ano que vem, e destacou a coincidência com os debates sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, iniciados pela manhã.

"É interessante a gente observar que o juiz Sergio Moro resolveu divulgar a sentença condenatória do presidente Lula exatamente no dia em que se começa a debater na CCJ o afastamento do presidente golpista Temer", declarou o petista.

Para exemplificar o que chamou de "evidente ação política" de Moro, Zarattini citou ainda outro "momento político importante": a divulgação, em março do ano passado, de "gravação ilegal do presidente Lula com a presidenta Dilma, que foi um elemento fundamental para que se acelerasse o processo de impeachment [contra Dilma]".

"O que se tenta, no nosso modo de ver, é simplesmente excluir o presidente Lula, que hoje é o primeiro colocado em todas as pesquisas para a Presidência da República em 2018 das próximas eleições. Na verdade, é uma decisão política, que tem que ter o repúdio do povo brasileiro porque atropela a democracia, todos os processos jurídicos e tudo o que a gente conhece como devido processo legal", afirmou o deputado.

"É uma condenação feita por um juiz que participou da investigação, da denúncia, e que julgou. Ou seja, é o mesmo que fez todos, junto com a sua famosa força-tarefa. É uma decisão que não levou em conta as testemunhas, que não tem nenhuma prova factual de que Lula seja dono desse famoso tríplex, a não ser a delação de um empresário que está preso há muito tempo e acabou fazendo essa acusação", criticou Zarattini.

O deputado ainda informou que o PT já está mobilizando sua militância pelo país para protestar contra a decisão desta quarta-feira.

"O PT está se organizando para que a gente compareça na porta dos fóruns de cada Estado, de cada cidade. Queremos fazer manifestações de protesto em todo o país."

Lula condenado

O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, condenou a nove anos e seis meses de prisão em regime fechado, nesta quarta-feira (12) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista era acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, crimes nos quais estaria envolvido um apartamento tríplex no Guarujá (SP). Ainda cabe recurso.

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pela acusação de ter sido beneficiado com o tríplex. Na mesma sentença, Moro absolveu o ex-presidente pelas "imputações de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o armazenamento do acervo presidencial por falta de prova suficiente da materialidade".

Na sentença, Moro afirma que crime corrupção envolveu a destinação de R$ 16 milhões "a agentes políticos do Partido dos Trabalhadores, um valor muito expressivo". "Além disso, segundo o juiz, o crime foi praticado em um esquema mais amplo no qual o pagamento de propinas havia se tornado rotina".

O juiz apontou "culpabilidade elevada" de Lula, que recebeu, segundo ele, "vantagem indevida em decorrência do cargo de presidente da República, ou seja, de mandatário maior".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos