Topo

Pezão atrasa salários de novo, mas promete pôr em dia maio, junho e julho até sexta

Foto: ABr
Para pagar 13º salário, governo Pezão diz esperar operação de crédito Imagem: Foto: ABr

Do UOL, em São Paulo

2017-08-14T04:00:00

14/08/2017 04h00

Nem todos os servidores do Rio de Janeiro vão receber os salários referentes a julho nesta segunda-feira (14), 10º dia útil do mês, quando os depósitos deveriam ser feitos, mas nesta semana o governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB) promete colocar em dia todos os salários em atraso, inclusive os de maio e junho --a exceção é o 13º de 2016.

Os salários de julho, maio e junho em atraso serão pagos integralmente aos servidores públicos até esta sexta-feira (18), segundo prometeu Pezão.

De acordo com o governador, com o leilão em que o Bradesco venceu para continuar à frente da gestão da folha de pagamento, o Tesouro Estadual vai receber R$ 1,3 bilhão. É, com esse dinheiro, que os salários serão pagos (exceto o 13º). O Bradesco realiza a gestão dos pagamentos de servidores do RJ desde 2012, quando substituiu o Itaú. O contrato é de cinco anos.

O contrato com o Bradesco foi assinado na sexta (11), no Palácio Guanabara. A partir dessa assinatura, o banco tem até cinco dias úteis para depositar os recursos na conta do Tesouro Estadual. 

De acordo com a Secretaria da Fazenda e Planejamento, R$ 1,2 bilhão referentes ao 13º salário ainda não foram depositados e serão pagos, "quando houver uma operação de crédito lastreada nas ações da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro)".

A Fazenda não especificou quantos servidores não vão receber o salário de julho nesta segunda. Na última sexta, a secretaria antecipou o pagamento integral de julho dos servidores ativos da Educação e do Degase, e 50% dos salários de julho dos servidores ativos, inativos e pensionistas da Segurança (Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Administração Penitenciária e órgãos vinculados). Os demais 50% dos vencimentos da Segurança (R$ 383 milhões) devem ser creditados nesta segunda. Servidores ativos da Educação e do Degase somam 79.575 e os da Segurança, 159.505.

Sobre o salário de junho, 206.825 pessoas ainda não receberam seus pagamentos, que totalizam R$ 569 milhões líquidos.

Sobre maio, ainda segundo a Fazenda, 118.171 funcionários ativos, inativos e pensionistas aguardam o valor integral dos salários --um total de R$ 267,2 milhões líquidos. Segundo o governo, esses funcionários tiveram creditado o valor de até R$ 1.200 individuais na última sexta. Esta parcela representa um total de R$ 150,8 milhões.

"Reitero o meu pedido de desculpas aos servidores ativos, inativos e pensionistas por tudo o que estão passando", afirma Pezão.

No total, o Rio possui 212 mil funcionários públicos ativos, 248 mil aposentados e pensionistas e uma folha avaliada em R$ 1,6 bilhão.

Mais Política