Pezão atrasa salários de novo, mas promete pôr em dia maio, junho e julho até sexta

Do UOL, em São Paulo

  • Foto: ABr

    Para pagar 13º salário, governo Pezão diz esperar operação de crédito

    Para pagar 13º salário, governo Pezão diz esperar operação de crédito

Nem todos os servidores do Rio de Janeiro vão receber os salários referentes a julho nesta segunda-feira (14), 10º dia útil do mês, quando os depósitos deveriam ser feitos, mas nesta semana o governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB) promete colocar em dia todos os salários em atraso, inclusive os de maio e junho --a exceção é o 13º de 2016.

Os salários de julho, maio e junho em atraso serão pagos integralmente aos servidores públicos até esta sexta-feira (18), segundo prometeu Pezão.

De acordo com o governador, com o leilão em que o Bradesco venceu para continuar à frente da gestão da folha de pagamento, o Tesouro Estadual vai receber R$ 1,3 bilhão. É, com esse dinheiro, que os salários serão pagos (exceto o 13º). O Bradesco realiza a gestão dos pagamentos de servidores do RJ desde 2012, quando substituiu o Itaú. O contrato é de cinco anos.

O contrato com o Bradesco foi assinado na sexta (11), no Palácio Guanabara. A partir dessa assinatura, o banco tem até cinco dias úteis para depositar os recursos na conta do Tesouro Estadual. 

De acordo com a Secretaria da Fazenda e Planejamento, R$ 1,2 bilhão referentes ao 13º salário ainda não foram depositados e serão pagos, "quando houver uma operação de crédito lastreada nas ações da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro)".

A Fazenda não especificou quantos servidores não vão receber o salário de julho nesta segunda. Na última sexta, a secretaria antecipou o pagamento integral de julho dos servidores ativos da Educação e do Degase, e 50% dos salários de julho dos servidores ativos, inativos e pensionistas da Segurança (Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Administração Penitenciária e órgãos vinculados). Os demais 50% dos vencimentos da Segurança (R$ 383 milhões) devem ser creditados nesta segunda. Servidores ativos da Educação e do Degase somam 79.575 e os da Segurança, 159.505.

Sobre o salário de junho, 206.825 pessoas ainda não receberam seus pagamentos, que totalizam R$ 569 milhões líquidos.

Sobre maio, ainda segundo a Fazenda, 118.171 funcionários ativos, inativos e pensionistas aguardam o valor integral dos salários --um total de R$ 267,2 milhões líquidos. Segundo o governo, esses funcionários tiveram creditado o valor de até R$ 1.200 individuais na última sexta. Esta parcela representa um total de R$ 150,8 milhões.

"Reitero o meu pedido de desculpas aos servidores ativos, inativos e pensionistas por tudo o que estão passando", afirma Pezão.

No total, o Rio possui 212 mil funcionários públicos ativos, 248 mil aposentados e pensionistas e uma folha avaliada em R$ 1,6 bilhão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos