Operação Lava Jato

PF apreende um total de R$ 51 mi em dinheiro em apartamento atribuído a Geddel

Do UOL, em São Paulo

A Polícia Federal contabilizou um total de R$ 42.643,500,00 (quarenta e dois milhões, seiscentos e quarenta e três mil e quinhentos reais) e US$ 2.688,000,00 (dois milhões, seiscentos e oitenta e oito mil dólares americanos) em dinheiro apreendido em malas num apartamento em Salvador supostamente ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) nesta terça-feira (5).

Pela cotação corrente, o valor total apreendido foi de R$ 51.030.866,40 (cinquenta e um milhões, trinta mil, oitocentos e sessenta e seis reais e quarenta centavos). Nos bastidores, a apreensão é considerada pela PF com a maior já feita pela entidade na história. O dinheiro será depositado em uma conta judicial, segundo a PF.

Divulgação
Malas de dinheiro em endereço atribuído a Geddel Vieira Lima em Salvador

Uma operação da Polícia Federal encontrou um "bunker" repleto de dinheiro atribuído, inicialmente, ao ex-ministro, segundo as investigações. No apartamento, os investigadores localizaram diversas caixas com mais de mil cédulas.

Geddel é investigado pela Operação "Cui Bono?" pelas suspeitas de pertencer a um esquema de liberação de créditos da Caixa Econômica Federal em troca de propina. Ele foi preso no dia 3 de julho, mas cumpre prisão domiciliar graças a um habeas corpus.

Divulgação/PF
Contagem do dinheiro encontrado pela PF aponta R$ 42,6 milhões e US$ 2,6 milhões ligados ao político

Nesta terça-feira, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em Salvador. As buscas foram autorizadas pelo juiz da 10ª Vara Federal Vallisney de Souza Oliveira.

Segundo o MPF-DF (Ministério Público Federal no Distrito Federal), o Núcleo de Inteligências da PF passou a suspeitar de que Geddel poderia estar escondendo evidências de seu envolvimento em crimes apurados pelas investigações.

No dia 14 de julho, segundo o despacho, a PF recebeu uma ligação telefônica informando sobre a movimentação de caixas em um apartamento num condomínio da capital baiana. Segundo a PF, o apartamento pertenceria a um homem chamado Silvio Silveira.

Segundo o empresário Lúcio Funaro, Geddel teria recebido ao menos R$ 20 milhões em propinas referentes à liberação de empréstimos. Geddel chegou a ser vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa.

A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa do ex-ministro, mas ela vinha negando o envolvimento de Geddel nos crimes atribuídos a ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos