Operação Lava Jato

'Leio todo dia que já estou condenado', diz Lula sobre segunda instância

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

Aguardando o julgamento de sua apelação contra a sentença que o condenou à prisão no processo do tríplex, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta quarta-feira (6) que lê todo dia que já está condenado. Lula recorre em liberdade enquanto espera que a Oitava Turma do TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região, a segunda instância dos processos da Operação Lava Jato, diga se confirma ou não a decisão do juiz federal Sergio Moro que, em julho, determinou pena de nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Relator da apelação de Lula, o desembargador João Pedro Gebran Neto terminou seu voto na última sexta-feira (1º). Agora, o documento precisa passar pelos outros dois desembargadores da Oitava Turma para que a data do julgamento seja marcada. A projeção é que a sessão seja marcada no primeiro semestre do ano que vem.

Pré-candidato do PT ao Planalto em 2018 e líder nas pesquisas eleitorais, Lula pode ficar inelegível, com base na lei da Ficha Limpa, caso a Oitava Turma confirme a condenação de Moro. Lula também poderá passar a cumprir sua pena, em regime fechado, a partir do julgamento dos três desembargadores no caso de condenação.

Em entrevista à rádio Continental, de Campos dos Goytacazes (RJ), no norte fluminense, ex-presidente afirmou não se preocupar em relação a essas possibilidades porque, caso contrário, não conseguirá dormir. "Quando cai na mão desse juiz Gebran, eu estou lendo todo dia que eu já estou condenado. Eu leio todo dia que eu já estou condenado. Então eu prefiro deixar ele fazer o serviço dele, ele ter responsabilidade", disse.

Sobre Moro, Lula disse que acha que o juiz federal da primeira instância é "surdo". "Ele não ouve o que eu falo".

A entrevista de Lula foi feita em meio a caravana do petista pelos Estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro.

Então deixa julgar. Eu não vou ficar batendo boca. Quem bate boca são meus advogados

Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República

Lei de Acesso

Na terça-feira (5), a defesa de Lula entrou com um pedido no TRF-4 em que questiona uma suposta "celeridade extraordinária" na tramitação do chamado processo do tríplex. Os advogados de Lula fundamentaram o pedido citando a Lei de Acesso à Informação, que estabelece regras e procedimentos para que qualquer pessoa possa exercer o direito de solicitar e receber informações de órgãos públicos.

Em pedido endereçado ao presidente do TRF-4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, a defesa de Lula pergunta quantos recursos de apelação ainda tinham que ser julgados no tribunal no dia 23 de agosto, quando o caso do tríplex subiu para a segunda instância.

No pedido, a defesa do ex-presidente menciona as notícias de que o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato na Oitava Turma, já concluiu seu voto no processo do tríplex. Segundo a "Folha de S. Paulo", este foi o caso da Lava Jato que mais rápido subiu de instância.

Gebran concluiu seu voto sobre este caso em 100 dias, contra uma média de 275 dias para os votos em outros processos da Lava Jato.

Boechat: Lula estará no páreo eleitoral em 2018

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos