Topo

Lula orientou PT a não "bater boca" com novo governo, diz Gleisi

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

2019-01-03T18:41:46

2019-01-03T19:37:56

03/01/2019 18h41Atualizada em 03/01/2019 19h37

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou nesta quinta-feira (3) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva orientou a partido a não "comprar brigas" e nem "bater boca" com o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), mas sim a trabalhar para "defender os direitos do povo".

"A orientação principal dele é que a gente defenda os direitos do povo", disse Gleisi após visitar Lula na sede da Polícia Federal, em Curitiba, na tarde de hoje. Condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do tríplex do Guarujá (SP), da operação Lava Jato, o ex-presidente está preso desde abril de 2018. 

"O que temos que fazer não é comprar brigas, bater boca, é sim defender os direitos do povo. Falar do nosso legado e falar daquilo que nós construímos durante 13 anos no Brasil", relatou a presidente do partido.

Segundo Gleisi, Lula ainda disse que, por já ter governado o país, o PT sabe quais são as necessidades da população.

"[Precisamos] mostrar com dados concretos o que pode ser feito para melhorar a vida da população. O povo precisa de emprego, de salário, de renda. É isso que está preocupando as pessoas", disse Gleisi.

Questionada se o ex-presidente assistiu à posse de Bolsonaro pela televisão, Gleisi não soube dizer. "Não perguntei para ele. A gente tinha tanta coisa para falar", disse. 

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) também esteve com Lula nesta quinta, mas não falou com os militantes e jornalistas que a aguardavam na saída da PF. Segundo Gleisi, Dilma estava atrasada para embarcar em um voo.

Primeiras medidas de Bolsonaro

Gleisi criticou as primeiras medidas adotadas por Bolsonaro, especialmente o decreto que fixa o salário mínimo em R$ 998 --R$ 8 a menos do que o previsto. Segundo ela, o novo governo tinha a oportunidade de dar o aumento que estava previsto no Orçamento, mas "houve recuo". "Com 8 reais de diferença, daria para comprar pão por 3 dias", disse.

A presidente do PT também disse serem preocupações de Lula e do partido a reorganização administrativa do governo, a política de direitos humanos e as medidas econômicas.

"Não temos nenhuma concretude nisso [na área econômica]. Não sabemos o que vai ser feito na reforma da Previdência, na reforma tributária, para gerar emprego. É um governo que tem um discurso vazio e ideológico."

Gleisi também classificou a fala do novo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sobre exonerar comissionados para "despetizar" o governo, como "retórica" e "discurso de palanque".

"Não adianta ficar fazendo discursos verborrágicos contra um inimigo como eles estão fazendo", disse. "Eles ganharam a eleição e agora vão continuar fazendo o quê? Brigar com o PT?", questionou.

Mais Política