Topo

Bolsonaro é idiota ingrato, inseguro, medroso e caricato, diz Frota

Expulso do PSL, Alexandre Frota disparou contra Jair Bolsonaro em entrevista à Folha de S.Paulo - Fátima Meira/Estadão Conteúdo
Expulso do PSL, Alexandre Frota disparou contra Jair Bolsonaro em entrevista à Folha de S.Paulo Imagem: Fátima Meira/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

16/08/2019 14h41

O deputado federal Alexandre Frota, que foi expulso do PSL nesta semana, disse à Folha de S.Paulo que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) não é "burro", mas sim um "idiota ingrato", "inseguro", "medroso" e "caricato".

Acusado de infidelidade partidária por fazer críticas a Bolsonaro, Frota considerou sua exclusão do partido como um "aviso para aqueles que acham que estamos vivendo em uma democracia".

Ele teria recebido convite para entrar em sete partidos - entre eles o PSDB, sigla que desponta como favorita a ter o deputado em seu quadro.

Frota, que foi um dos maiores apoiadores de Bolsonaro durante a campanha presidencial do ano passado, mostrou arrependimento e falou à Folha que "a cadeira de presidente ficou grande para ele, que se lambuzou com o mel da Presidência". Para o deputado, o pesselista não está "preparado para o cargo para o qual foi eleito".

O ex-ator relembrou ainda seu passado em filmes eróticos e fez uma comparação ao presidente. "Bolsonaro não foi ninguém no Exército, saiu expurgado de lá, não foi brilhante, ou estou errado? Não estou. Eu, como ator pornô, dei mais certo do que ele no Exército. Bolsonaro está fazendo parte de uma matilha cultural e social de extrema-direita, que assim como a esquerda, que durante muito tempo trabalhou isso, acham que vão dominar o país".

Paulo Guedes e Sergio Moro foram citados por Frota, que fez uma previsão: " A impressão que eu tenho é que o Bolsonaro não saiu da campanha. Ele acha que o Palácio é um palco. Ele tem que levantar as mãos para o céu por ele ainda ter do lado dele o Paulo Guedes e o Sergio Moro. Mas o castelinho de areia uma hora vai ruir e ele vai ficar perdido como um cachorrinho vira-lata numa montanha de lixo".

Mais Governo Bolsonaro