Topo

Bolsonaro gastou R$ 201.600 para ver três jogos do Brasil na Copa América

Presidente Jair Bolsonaro e a seleção brasileira durante premiação de campeão da Copa América, Maracanã, Rio de Janeiro - 07.jul.2019 - Ricardo Botelho/Brazil Photo Press/Folhapress
Presidente Jair Bolsonaro e a seleção brasileira durante premiação de campeão da Copa América, Maracanã, Rio de Janeiro
Imagem: 07.jul.2019 - Ricardo Botelho/Brazil Photo Press/Folhapress

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

16/08/2019 17h37

O presidente Jair Bolsonaro acompanhou, pessoalmente, três jogos da seleção brasileira durante a Copa América realizada no país nos meses de junho e julho: o jogo de abertura, em São Paulo, a semifinal, em Minas Gerais, e a final, no Rio de Janeiro. Mas, para acompanhar a seleção canarinho, foi necessário gasto público.

Dados da Secretaria Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República, obtidos com exclusividade pelo UOL via LAI (Lei de Acesso à Informação), apontam que foram gastos R$ 201,6 mil para que o presidente pudesse acompanhar as três partidas. Em média, um gasto de R$ 67,2 mil a cada jogo.

As despesas contemplaram gastos com a equipe de segurança, saúde, transporte, cerimonial, imprensa, comunicações e apoio técnico necessário ao presidente, segundo a secretaria. O presidente participou das cerimônias de abertura e de premiação, no primeiro e no último jogo da competição, e acompanhou a semifinal das tribunas.

No primeiro jogo, o Brasil venceu a Bolívia no estádio do Morumbi por 3 a 0. Na semifinal, no Mineirão, a seleção brasileira venceu a argentina por 2 a 0. E na final, no Maracanã, o Brasil venceu o Peru por 3 a 1.

Nas vezes em que foi mencionado ou apareceu, Bolsonaro foi recebido com vaias e aplausos. Na semifinal, contra a Argentina, Bolsonaro afirmou que as vaias foram direcionadas aos hermanos, não a ele. Na ocasião, a federação de futebol da Argentina formalizou uma crítica à presença de Bolsonaro no estádio.

Questionado sobre o fato, Thiago Jannuzzi, gerente de competições do Comitê Organizador Local da Copa América, afirmou considerar a presença como normal. "Sobre a presença do presidente, eles vão ao campo, isso é normal. No pré-jogo ou no intervalo, isso é normal."

Não é uma exclusividade do presidente Bolsonaro, no entanto, ir a jogos da seleção em campeonatos realizados em território nacional. Durante a Copa do Mundo de 2014, por exemplo, a ex-presidente Dilma Rousseff também acompanhou partidas. Na estreia do Mundial, ela foi vaiada quatro vezes pela torcida.

Veja, abaixo, os gastos do presidente, jogo a jogo, segundo o próprio governo federal:

Brasil x Bolívia, em 14 de junho

  • Alimentação: R$ 12.900
  • Hospedagem: R$ 42.654
  • Diárias: R$ 42.693,88

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de abertura da Copa América, no Morumbi, em São Paulo - 15.jun.2019 - Marcos Corrêa/PR/Folhapress
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de abertura da Copa América, no Morumbi, em São Paulo
Imagem: 15.jun.2019 - Marcos Corrêa/PR/Folhapress

Brasil x Argentina, em 2 de julho

  • Alimentação: R$ 5.472
  • Hospedagem: R$ 8.137,50
  • Diárias: R$ 23.761,74

Presidente Jair Bolsonaro durante partida entre Brasil e Argentina no Mineirão, em Belo Horizonte - 02.jun.2019 - Anderson Lira/Brazil Photo Press/Folhapress
Presidente Jair Bolsonaro durante partida entre Brasil e Argentina no Mineirão, em Belo Horizonte
Imagem: 02.jun.2019 - Anderson Lira/Brazil Photo Press/Folhapress

Brasil x Peru, em 7 de julho

  • Alimentação: R$ 19.980
  • Hospedagem: R$ 17.412,96
  • Diárias: R$ 28.672,35

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de premiação da Copa América, no Maracanã, Rio de Janeiro - 07.jul.2019 - Marlon Costa/Futura Press/Folhapress
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de premiação da Copa América, no Maracanã, Rio de Janeiro
Imagem: 07.jul.2019 - Marlon Costa/Futura Press/Folhapress

Governo não se posiciona

A reportagem perguntou à Casa Civil e às secretarias Geral, de Governo e de Comunicação da Presidência se o montante gasto para o presidente acompanhar a seleção brasileira nas três partidas foi bem investido. Foram enviados quatro e-mails, entre quinta (15) e sexta-feira (16), mas, até esta publicação, os órgãos não se manifestaram sobre o assunto.

Bolsonaro trocou afagos com Neymar antes da semifinal, no Mineirão

UOL Esporte

Governo Bolsonaro