Topo

MP investiga Carlos Bolsonaro por uso de funcionário fantasma, diz revista

O vereador do Rio Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, em Brasília - Sergio Lima - 13.ago.18/AFP
O vereador do Rio Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, em Brasília Imagem: Sergio Lima - 13.ago.18/AFP

Do UOL, em São Paulo

11/09/2019 12h03

O Ministério Público do Rio de Janeiro abriu dois procedimentos para investigar o uso de funcionários fantasmas pelo gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). A informação é da revista Época.

O órgão se baseou em duas denúncias feitas pela revista que revelou em reportagem publicada em junho deste ano que o vereador empregou sete parentes de Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro.

Entre os citados pela reportagem da revista e alvo do MP estão Marta Valle, cunhada de Ana Cristina, Gilmar Marques (ex-cunhado), Guilherme Henrique de Siqueira Hudson (primo) e a mulher Ananda Hudson e a sua cunhada, Monique Hudson.

Segundo a publicação, dois familiares teriam afirmado que forma nomeados para o gabinete sem nunca trabalhar para o vereador.

O MP apura ainda se outros três profissionais nomeados nunca deram expediente na Câmara.

Mais Política