Topo

Interino nomeia novos integrantes da Lava Jato na PGR

O subprocurador da República Alcides Martins, eleito vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal), e a procuradora-geral, Raquel Dodge - MPF/Divulgação
O subprocurador da República Alcides Martins, eleito vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal), e a procuradora-geral, Raquel Dodge Imagem: MPF/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

18/09/2019 19h31

O procurador-geral da República interino, Alcides Martins, nomeou na tarde de hoje o subprocurador-geral Luciano Mariz Maia como vice-procurador-geral da República, e o subprocurador-geral Humberto Jacques de Medeiros como vice-procurador-geral Eleitoral. Os dois já ocupavam as respectivas funções na gestão anterior, de Raquel Dodge.

Martins ainda designou cinco membros do Ministério Público Federal (MPF) para integrarem o grupo responsável pelas ações da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República: os procuradores da República Alessandro José Fernandes de Oliveira, Hebert Reis Mesquita, Luana Vargas Macedo, Maria Clara Barros Noleto e Vitor Viccely Lins Santos.

O subprocurador Alcides Martins tomou posse hoje como procurador-geral da República, em cerimônia de transmissão de cargo realizada na PGR (Procuradoria-Geral da República). O cargo foi transmitido a Martins por Raquel Dodge, cujo mandato à frente da PGR se encerrou ontem.

Martins chefiará a PGR de forma interina, até que o Senado aprove a indicação de Augusto Aras para o cargo. Aras foi o escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para comandar a Procuradoria, mas seu nome precisa ser referendado pelo Senado.

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado deve realizar a sabatina de Aras na próxima quarta-feira (25). Após a sabatina, a comissão vota a indicação do procurador e, na sequência, seu nome é submetido ao plenário do Senado, onde Aras tem que receber o apoio de ao menos 41 dos 81 senadores para ser confirmado no cargo.

Como o mandato de Dodge se encerrou antes de haver a aprovação de Aras pelo Senado, a legislação prevê que quem ocupa o comando da PGR até a nomeação do indicado por Bolsonaro é o vice-presidente do CSMPF (Conselho Superior do Ministério Público Federal). Alcides Martins foi eleito vice-presidente do CSMPF em agosto.

Mais Política