Topo

Doria se desculpa após chamar manifestantes de 'vagabundos'

Do UOL, em São Paulo

17/10/2019 10h23

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), usou as redes sociais para se desculpar por ter chamado manifestantes de "vagabundos" e "sem-vergonhas" durante um evento em Taubaté, no interior paulista, na terça-feira (15). Na gravação, ele diz que foi "vítima de uma operação orquestrada por uma turma de baderneiros".

"Eu acabei me excedendo e respondi à altura que naquele momento exigia, sem pensar que também ali haviam outras pessoas que nada tinham a ver com o grupo de baderneiros que ali estavam", diz o governador no vídeo.

Durante o evento, manifestantes exibiram faixas chamando o governador de "João Pinóquio" e com os dizeres "Governador Doria derrete a cada mentira". O tucano, no palco, não gostou, e confrontou.

"Enquanto vocês descansam, os policiais de trabalho estão trabalhando, arregaçando a manga para trabalhar. Não estão fazendo política. Vai para casa, vagabundo. Vai para sua casa. Vai comer sua mortadela com a sua mãe. Seus sem-vergonha", protestou.

"Vai cobrar do Major Olímpio (senador do PSL-SP) seus 'duzentinho' para vir aqui falar bobagem no microfone. Vai para casa, aposentado! Aqui é lugar de gente feliz, de gente alegre, de gente boa", completou.

No vídeo publicado ontem, Doria diz que foi hostilizado pelo grupo, que gritou ofensas contra ele.

"A minha manifestação não foi para ofender ninguém, nenhuma classe, principalmente de aposentados. Eu reagi, sim, para responder aquele pequeno grupo de baderneiros que ali estavam, com uma minoria que torce contra", disse.

Ouça o podcast Baixo Clero (https://noticias.uol.com.br/podcast/baixo-clero/), com análises políticas de blogueiros do UOL. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política