Topo

Diagnóstico sobre tumor de Bruno Covas será dado em uma semana, diz médico

18.out.2019 - Bruno Covas, em coletiva de imprensa na prefeitura de São Paulo - Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo
18.out.2019 - Bruno Covas, em coletiva de imprensa na prefeitura de São Paulo Imagem: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

28/10/2019 11h25

Resumo da notícia

  • Sem previsão de alta, prefeito foi diagnosticado com duas tromboses e um tumor
  • Tromboses estão sendo tratadas no Sírio-Libanês desde quando foram identificadas
  • Resultados que identificarão se tumor é benigno ou maligno sairão em uma semana

A equipe médica do hospital Sírio-Libanês localizou, no trato digestivo do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), um tumor. O tucano foi submetido a uma endoscopia digestiva e a uma pequena cirurgia realizada para a coleta do material. Ele está internado desde quarta-feira (23) e não há previsão de alta.

Em entrevista ao UOL, o médico David Uip, que trata o prefeito, informou que o resultado que identificará se o tumor é benigno ou maligno (câncer) deve ser dado em até uma semana. "O material colhido foi encaminhado para estudos. O diagnóstico dependerá do resultado das biópsias. Isso deve acontecer em até uma semana".

Uip frisou que não há diagnóstico de que o prefeito esteja com câncer até o momento. Além do tumor, foi identificado em Covas duas tromboses: uma nas veias fibulares (membros inferiores) e outra no pulmão. "Provavelmente, a primeira ocasionou a segunda", disse o médico.

Covas está internado no hospital desde quarta-feira, quando foi ao local para tratar uma erisipela, uma doença infecciosa de pele. Exames realizados, no entanto, apontaram, na sexta-feira (25), as tromboses.

David Uip, médico do Sírio-Libanês - Keiny Andrade/Folhapress
David Uip, médico do Sírio-Libanês
Imagem: Keiny Andrade/Folhapress

"Estamos combatendo as duas tromboses do prefeito desde que as identificamos. O tumor localizado é outra coisa. São três situações que estamos tratando. Nos próximos dias, teremos resultados sequenciais", afirmou o médico à reportagem.

Além de David Uip, que foi secretário estadual de Saúde durante a gestão do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), Covas está sendo acompanhado por uma equipe médica coordenada, também, por Roberto Kalil Filho, Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Artur Katz e Raul Cutait.

Hoje, nas redes sociais, Covas afirmou: "Não tenho dúvidas que vou vencer esse desafio. Quero agradecer as centenas de mensagens que tenho recebido de inúmeras pessoas. Ajuda muito a atravessar a tempestade. #enfrentando."

O prefeito já havia sido atendido no pronto-atendimento do Hospital Albert Einstein na tarde de sábado passado (19). O motivo era também infecção de pele em um "membro inferior", segundo nota divulgada pela Prefeitura. A erisipela costuma atingir as pernas com maior frequência.

Na ocasião, Covas havia recebido alta na mesma tarde, após ser submetido a exames e ter antibióticos prescritos para o tratamento. O prefeito havia cancelado sua agenda durante o fim de semana passado para ficar em repouso.

Saiba mais sobre o estado de saúde do prefeito de São Paulo

Band Notí­cias

Política