Topo

Ameaçado de cassação, Eduardo diz ter imunidade parlamentar para opiniões

Eduardo Bolsonaro se desculpa sobre 'novo AI-5'

UOL Notícias

Do UOL, em São Paulo

31/10/2019 19h44

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) divulgou mais um vídeo nas redes sociais para explicar sua declaração, divulgada hoje, que sugeria a possibilidade de "um novo AI-5" (o Ato Institucional número 5, promulgado em 1968 durante a ditadura militar) como resposta a possíveis manifestações populares no Brasil como os que têm acontecido no Chile.

O vídeo foi publicado no final da tarde, pouco após entrevista ao programa Brasil Urgente, da Band. Mais uma vez, Eduardo pediu desculpa pela declaração - que, segundo ele, gostaria de reformular para evitar polêmicas.

"Primeiro de tudo: não existe qualquer possibilidade de retorno do AI-5. E a minha posição é bem confortável. Eu não fico nem um pouco constrangido em pedir desculpa a qualquer tipo de pessoa que tenha se sentido ofendida ou imaginado o retorno do AI-5", disse Eduardo direto dos estúdios do SBT em São Paulo, onde cumpria agenda de entrevistas.

"Esse não é o ponto que nós vivemos hoje no contexto atual do Brasil. A gente vive o regime democrático. Nós seguimos a Constituição. Inclusive, esse é o cenário que me fez ser o deputado mais votado da história. Então não tenho porque descambar para o autoritarismo. Tenho a meu favor a democracia", acrescentou, indo além.

"Agora, é obvio que a oposição vai tentar pegar esteira na minha fala para tentar me pintar como ditador. Mas eu digo aqui: pode ter sido até uma resposta infeliz. Se pudesse refazê-la, faria sem citar o AI-5 para não dar essa polêmica toda."

No vídeo, porém, Eduardo Bolsonaro lembrou ter imunidade parlamentar garantida pela Constituição Federal para opinar. Na tarde de hoje, partidos de esquerda decidiram ir ao Conselho de Ética da Câmara pedir a cassação do filho de Jair Bolsonaro. A representação será feita por PT, PcdoB, PSOL e PSB.

"Nós, parlamentares, temos garantido na Constituição o direito à imunidade parlamentar por opiniões, palavras e votos. É imunidade não para roubar; imunidade para falar. Assim, você conhece melhor o seu representante e vai ter a oportunidade, daqui a quatro anos, de votar nele ou de não votar nele. Assim é a nossa democracia", declarou.

"Então é somente isso que eu peço. Respeito à Constituição e aproveito para reafirmar aqui os valores democráticos e constitucionais", encerrou Eduardo Bolsonaro.

Bolsonaro: 'Quem quer que fale de AI-5 está sonhando'

UOL Notícias

Política