Topo

Com 46 minutos de atraso, Putin chega a encontro com Bolsonaro no Planalto

Antes de ir ao Planalto, Putin deu entrevista para jornalistas russos que acompanharam a 11ª cúpula do Brics - Pavel Golovkin/Pool via REUTERS
Antes de ir ao Planalto, Putin deu entrevista para jornalistas russos que acompanharam a 11ª cúpula do Brics Imagem: Pavel Golovkin/Pool via REUTERS

Luciana Amaral

do UOL, em Brasília

14/11/2019 17h01

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, chegou para reunião bilateral com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), com 46 minutos de atraso hoje à tarde. O encontro aconteceu no Palácio do Planalto. Na saída da reunião, que durou cerca de 49 minutos, ao ser questionado pela imprensa sobre o encontro, Putin parou e falou "muito obrigado", em português.

Após reunião com Bolsonaro, Putin fala com a imprensa em português: "Muito obrigado!"

UOL Notícias

Inicialmente marcada para as 16h, o presidente russo deixou Bolsonaro esperando no gabinete presidencial por 46 minutos. Antes de ir ao Planalto, Putin estava dando entrevista para jornalistas russos que acompanharam a 11ª cúpula do Brics - bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - em Brasília. A cúpula foi oficialmente encerrada hoje no início da tarde. O Planalto divulgou nota sobre os temas abordados no encontro entre os presidentes. Veja na íntegra no fim do texto.

Ao se aproximar do elevador e ver os jornalistas brasileiros que esperavam por sua chegada, acenou brevemente. Assim como o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, ontem, Putin entrou por uma portaria lateral do palácio, porque a subida pela rampa do Planalto é reservada somente a visitas de Estado.

Putin chegou cercado por forte esquema de segurança formado tanto por brasileiros quanto por russos. Até o momento, a segurança do presidente russo é a mais ostensiva percebida pela reportagem.

Após a entrada de Putin no Planalto, a maioria da comitiva russa teve de passar pelo equipamento de raio-x junto às respectivas bolsas. Três homens - dois vestidos em roupas militares - com maletas, porém, apresentaram papel que os isentaram de passar pela vistoria.

Pelo menos dois carros utilizados por Putin foram transportados da Rússia especialmente para acompanhar o presidente e, diferentemente dos outros mandatários, as bandeiras da Rússia em seus veículos contam com uma moldura para que fiquem sempre estendidas. Sem a estrutura, muitas vezes as bandeiras ficam dobradas ou caídas quando não há vento para tremularem.

Após o encontro com o líder russo, Bolsonaro recebeu no Planalto o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, no segundo encontro bilateral do dia. A reunião a sós com o Ramaphosa estava marcada para as 17h15, mas atrasou por conta da chegada tardia de Putin.

Ontem, Bolsonaro já havia se reunido com o presidente da China, Xi Jinping, e com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi. no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

Informações sobre o encontro bilateral entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Rússia, Vladimir Putin

Em 14 de novembro de 2019, os presidentes Bolsonaro e Putin se reuniram à margem da cúpula do BRICS, em Brasília, para tratar do aprofundamento da Parceria Estratégica entre o Brasil e a Rússia, cujas relações têm caráter histórico, com mais de 190 anos de existência.

A ampliação dos fluxos de comércio e investimentos foi objeto de especial atenção. As duas partes discutiram a remoção de entraves ao comércio de produtos do setor agropecuário e a diversificação da pauta comercial. Manifestaram disposição de estudar iniciativas para a promoção de investimentos recíprocos. O lado russo demonstrou interesse em novos aportes no setor de energia. Saudou, ainda, a realização de um evento do Programa de Parcerias de Investimentos em Moscou, no final deste mês, para apresentar oportunidades em infraestrutura.

Outra importante vertente da cooperação bilateral é a de ciência, tecnologia e inovação. Ambos os lados reforçaram sua disposição de aprofundar o intercâmbio em áreas como geolocalização, tecnologia espacial e biotecnologia.

Política