PUBLICIDADE
Topo

Enio Tatto diz que foi "apartar a confusão" com Arthur do Val na Alesp

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 08h39

O deputado estadual Enio Tatto (PT) se manifestou em relação à confusão ocorrida ontem, na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), envolvendo membros do PT e o também deputado Arthur do Val (sem partido), mais conhecido como "Mamãe Falei".

O petista afirmou que se dirigiu à mesa para "apartar a confusão" e que "em nenhum momento" procurou briga. Ele ainda falou que Arthur do Val incitou a violência durante seu discurso. As declarações foram exibidas em seus stories do Instagram.

"Diante das constantes provocações e incitação de violência do deputado Mamãe Falei, como membro da mesa diretora, me dirigi à mesa para apartar a confusão. Em nenhum momento procurei briga", iniciou Tatto.

"Na plateia estavam professores estaduais, agentes da saúde, promotores de Justiça e delegados da polícia. Por 4 vezes o deputado Mamãe Falei os chamou de 'vagabundo' por serem contra a reforma da previdência do governador João Doria que lhes tirarão direitos conquistados com muita luta", continuou.

Por fim, Tatto usou a palavra "moleque" para se dirigir a Arthur. "Tenho 30 anos de vida parlamentas a serviço da população de São Paulo, sempre calçado no respeito a todos, no diálogo e conciliação. Jamais mancharia a minha honra e história por conta de moleque. De minha parte o embate é e sempre será político".

Enio Tatto (PT) se manifestou horas depois da confusão em sessão na Alesp - Divulgação / Reprodução/Instagram
Enio Tatto (PT) se manifestou horas depois da confusão em sessão na Alesp
Imagem: Divulgação / Reprodução/Instagram

A confusão

A discussão da PEC da reforma da Previdência do estado de São Paulo terminou em briga no momento em que Arthur do Val discursava.

Após Val chamar petistas e líderes sindicais de "vagabundos", em vários momentos, deputados da bancada do PT e do PSOL subiram à tribuna. Houve trocas de socos e confusão generalizada.

Eu ouvi um discurso muito bonito do Enio Tatto falando mal do PSDB. Mas eu quero saber de vocês, onde estavam quando o PT votou no PSDB para presidência da casa, bando de vagabundo. Onde estavam? Cadê o líder sindical? É vagabundo, sim. Olhe pra mim, você está com medo? Eu quero saber do bando de petistas, que querem o 'Lula Livre'

Ao perceber a confusão, o presidente da casa, o deputado Cauê Macris (PSDB-SP), pediu a ajuda da Polícia Militar e encerrou imediatamente a sessão. (Assista, na íntegra, abaixo)

Veja o discurso do deputado Arthur do Val que gerou confusão em São Paulo

UOL Notícias

"Não vou aguentar esse tipo de xingamento"

Ao UOL, por telefone, Val acusou Tatto de ter iniciado a confusão ofendendo a ele e à colega, Janaína Paschoal (PSL-SP).

"Existe um projeto na casa para ampliação de verba para publicidade da Alesp, e que vai custar R$ 40 milhões aos cofres públicos. A Janaína [Paschoal] foi subir na tribuna [para falar contra o projeto]. O deputado Enio Tatto do PT não gostou e começou a xingá-la, dizendo que ela havia sentado no colo de João Doria. Eu rebati. Eles não gostaram e começaram a me xingar também, me chamando de bandido, filho da puta, nazista e fascista", explicou Val.

"É uma cena lamentável, com certeza, mas não vou aguentar esse tipo de xingamento, o cara me chamando de nazista e fascista", completou.

Política