PUBLICIDADE
Topo

Oposição tenta impedir ação de cartórios na criação de partido de Bolsonaro

Painel escrito Aliança pelo Brasil formado por cartuchos de bala feito por Rodrigo Camacho - Lucaiana Amaral/UOL
Painel escrito Aliança pelo Brasil formado por cartuchos de bala feito por Rodrigo Camacho Imagem: Lucaiana Amaral/UOL

Do UOL, em São Paulo

15/01/2020 18h24

Cinco partidos de oposição (PT, PSB, PDT, PSOL e PCdoB) anunciaram hoje que vão pedir ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para suspender, em todo o país, a atuação dos Cartórios de Notas na filiação de membros do partido Aliança pelo Brasil, que está sendo criado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O site do partido orienta que os novos membros entreguem suas fichas de filiação nos cartórios, onde serão armazenadas até que um representante credenciado do partido recolha.

Segundo os partidos, essa atuação dos cartórios, que são concessões públicas, é ilegal e está acontecendo com apoio do Colégio Notarial do Brasil, a entidade nacional dos Cartórios.

Os partidos pedem que o CNJ, que é a instância corregedora dos Cartórios de Notas, investigue o apoio.

"Bolsonaro está usando um serviço público para criar um partido a jato, passando por cima da lei e da moralidade que ele nunca respeitou", disse a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann.

Os cinco partidos políticos também requerem ao CNJ uma inspeção no Cartório de Pituba (BA), que estaria fazendo uma campanha aberta de filiação ao Aliança.

Política