PUBLICIDADE
Topo

Novo ministro da Casa Civil diz que ainda está focado no Exército

Walter Souza Braga Netto - ERBS JR./FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Walter Souza Braga Netto Imagem: ERBS JR./FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Carla Araújo

Colaboração para o UOL, em Brasília

13/02/2020 17h20Atualizada em 13/02/2020 17h56

Chefe do Estado-Maior do Exército, o novo ministro da Casa Civil, general Walter Souza Braga Netto, disse que foi informado pelo presidente Jair Bolsonaro minutos antes da oficialização de seu nome como substituto de Onyx Lorenzoni.

Apesar de a posse estar marcada para o dia 18, o general afirmou ao UOL que ainda está envolvido com os preparativos para a reunião do Alto Comando do Exército, que acontece entre os dia 17 e 21 de fevereiro.

"Recebi dele (o presidente) agora (o aviso). Estou focado ainda em uma reunião do Alto Comando", disse o novo ministro, que tem um perfil bastante discreto e avesso a holofotes.

Braga Netto vai reforçar o time de ministros militares no Planalto, que conta ainda com os generais Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo). O único que não veio do Exército é Jorge Oliveira, major da reserva da Polícia Militar do DF à frente da Secretaria-Geral da Presidência.

Apesar do entusiasmo na ala militar palaciana, alguns membros da cúpula do Exército tentam se esforçar numa tentativa de afastamento da imagem da corporação em relação ao governo Bolsonaro, que possui um acalorado eixo ideológico liderado por seguidores do guru da direita, Olavo de Carvalho.

O general Otávio do Rêgo Barros, atual porta-voz de Bolsonaro, foi inclusive preterido em uma promoção interna para virar um general quatro estrelas, segundo fontes da corporação, justamente, por estar no governo.

Ex-ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz fez elogios ao colega de patente e disse que ele é uma "excelente pessoa". "Equilibrado. Pensamento próprio. Transparente", disse ao UOL o general que saiu do governo após desavenças com o núcleo ideológico.

Ex-ministro da Secretaria de Governo e atual presidente dos Correios, o também general Floriano Peixoto afirmou que a decisão do presidente "foi muito acertada". "Trata-se de um general extremamente preparado, com um rol de experiências que contribuirão, em muito, para o Governo", disse Floriano ao UOL.

O ex-ministro destacou que a vivencia de Braga Netto, que inclui passagens diplomáticas no exterior e em missões de paz, além de serviço na Amazônia e como comandante das forças de pacificação no Rio de Janeiro, atesta a capacidade do colega de patente.

"Relaciona-se excepcionalmente com o segmento civil, talento esse fortalecido ao longo de sua vida militar, especialmente nos postos mais elevados, como Comandante Militar do Leste, no Rio de Janeiro, e articula-se de maneira muito madura com o segmento político, de quem também goza de um reconhecido prestígio. Representa, portanto, mais um gol de placa de nosso Presidente", finalizou Floriano.

Política