PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro demite Terra, põe Onyx na Cidadania e Braga Netto na Casa Civil

Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Imagem: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

13/02/2020 16h48Atualizada em 13/02/2020 22h00

Resumo da notícia

  • Com chegada de general, militares dominam cúpula do Planalto
  • Demitido do Ministério da Cidadania, Osmar terra volta à bancada do MDB na Câmara dos Deputados
  • Posse de ministros acontecerá no próximo dia 18

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou hoje que Osmar Terra deixará o Ministério da Cidadania e será substituído por Onyx Lorenzoni. A Casa Civil, até então comandada por Onyx, passará ao general do Exército Walter Souza Braga Netto.

Dessa forma os militares preenchem mais uma vaga na cúpula presidencial. Os outros ministros que têm origem no Exército são os generais Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) — também é general o vice-presidente, Hamilton Mourão. O único que não veio do Exército é Jorge Oliveira, major da reserva da Polícia Militar do DF à frente da Secretaria-Geral da Presidência.

A cerimônia de transmissão dos cargos acontece na próxima terça-feira (18), às 15h, no Palácio do Planalto.

Ao UOL, Braga Netto disse hoje que, apesar de ter aceitado o convite, ainda está focado nas Forças Armadas e envolvido com os preparativos para a reunião do Alto Comando do Exército, que acontece entre os dia 17 e 21 de fevereiro.

No Twitter, Bolsonaro agradeceu a Terra "pelo trabalho e dedicação ao Brasil" e informou que o agora ex-ministro segue na Câmara dos Deputados, para o qual foi eleito pelo MDB do Rio Grande do Sul.

Após o anúncio da demissão, Terra disse por meio de nota que estará onde for "mais importante para o governo e para o presidente Jair Bolsonaro".

"Sou deputado no sexto mandato, com muito orgulho. Agradeço ter ajudado o Brasil e quero continuar ajudando onde estiver", afirmou.

Já Onyx afirmou nas redes sociais que continuará trabalhando com "zelo, empenho e dedicação" independentemente do "número da camisa".

Por que a troca de cadeiras

Com as mudanças, Bolsonaro resolve dois problemas de uma única vez, na avaliação de interlocutores do Planalto: demite Terra, cujo trabalho foi questionado dentro do governo e encontra uma "saída honrosa" para Onyx, que enfrentou crises na Casa Civil e de esvaziamento de poder desde o ano passado em razão de seu desempenho na articulação política com o Congresso.

A situação do deputado eleito pelo DEM à frente da pasta piorou desde que seu número 2 foi demitido por usar um avião da FAB (Força Aérea Brasileira).

Além disso, havia uma forte torcida entre militares de alto escalão para que Braga Netto, ex-interventor federal da segurança pública no RJ (entre fevereiro de 2018 e janeiro de 2019), fosse alçado ao posto de ministro.

O general do Exército Walter Souza Braga Netto, que assumirá a Casa Civil - Fernando Frazão/Agencia Brasil - Fernando Frazão/Agencia Brasil
O general do Exército Walter Souza Braga Netto, que assumirá a Casa Civil
Imagem: Fernando Frazão/Agencia Brasil

Quem é Braga Netto

Há 45 anos na carreira militar, Braga Netto se notabilizou por ocupar cargos de comando na hierarquia do Exército e ter atuado como interventor militar na segurança pública do Rio de Janeiro em 2018.

A um mês de completar 63 anos, Braga Netto, nascido em Belo Horizonte, ingressou na carreira militar em 1975, mas em 1980 já era 1º Tenente. Sua carreira ganhou expressão nacional em 2001, quando, já tenente-coronel, foi nomeado oficial de gabinete de Gleuber Vieira, então comandante do Exército.

Política