PUBLICIDADE
Topo

FHC pede "basta em polarizações" no Brasil e diz que "calar é concordar"

Carine Wallauer - 22.mai.2018/UOL
Imagem: Carine Wallauer - 22.mai.2018/UOL

Do UOL, em São Paulo

16/02/2020 12h48

Resumo da notícia

  • Para ex-presidente, "novamente se impõe união a favor da democracia"
  • FHC aponta que é preciso acabar com as polarizações no Brasil

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) pediu um "basta de polarizações" no país. Em mensagem publicada hoje nas redes sociais, FHC diz que "novamente se impõe união a favor da democracia".

"Calar é concordar. Falar com firmeza serena se impõe. Já", escreveu o ex-presidente.

O tucano lembrou que, quando estava no Planalto, ele convidou o ditador Ernesto Geisel para almoçar. E que também chamou Eunice Paiva, viúva do ex-deputado Rubens Paiva, vítima da ditadura, "a assistir ato para rever injustiças".

FHC comandou o Brasil entre 1995 e 2002.

O comentário de FHC vem em um momento em que:

  • aliados do atual presidente, Jair Bolsonaro (sem partido), respaldaram ataques à repórter Patrícia Campos Mello, do jornal Folha de S.Paulo;
  • o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez um comentário ofensivo às domésticas;
  • o presidente e o governador da Bahia, Rui Costa (PT), fazem insinuações um contra o outro a respeito da morte de um miliciano

Em sua mensagem, o ex-presidente faz referência a um artigo da colunista Míriam Leitão, do jornal O Globo. Leitão diz que "nada do que tem nos acontecido é normal".

"Há quem ache que o país não está diante do risco à democracia, apenas vive as agruras de um governo ruim. E existem os que consideram que o importante é a economia", escreveu a jornalista.

"Quem prefere o autoengano pode viver melhor no presente, mas deixa de ver os avisos antecedentes do perigo e, portanto, não se prepara para enfrentá-lo. Manter a consciência dos riscos é a atitude mais sensata em época tão difícil quanto a atual", pontua.

Políticos e entidades repudiam ataque a jornalista

Band Notí­cias

Política