PUBLICIDADE
Topo

Toffoli defende Parlamento após vídeo divulgado por Bolsonaro

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, com o presidente Jair Bolsonaro em evento - MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO
O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, com o presidente Jair Bolsonaro em evento Imagem: MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

26/02/2020 17h31Atualizada em 26/02/2020 20h43

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, reagiu hoje ao compartilhamento pelo presidente Jair Bolsonaro de um vídeo convocando manifestantes para um protesto que tem o Congresso Nacional e o Supremo entre os alvos.

Toffoli afirmou que "não existe democracia sem um Parlamento atuante, um Judiciário independente e um Executivo já legitimado pelo voto", disse o ministro, em nota.

O presidente do STF também censurou o que ele chama de "clima de disputa permanente", mas sem nomear o presidente da República.

As manifestações estão marcadas para o dia 15 de março. Após a repercussão negativa da notícia sobre o compartilhamento do vídeo, Bolsonaro afirmou, pelas redes sociais, que utiliza o WhatsApp para fins pessoais e "qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República".

Mais cedo, o ministro Celso de Mello, decano do STF, também se manifestou, criticando Bolsonaro severamente.

Ontem, o presidente compartilhou entre seus contatos no WhatsApp um vídeo em que convida brasileiros a irem para as ruas no dia 15 de março.

Esse protesto teria como intuito pressionar o Congresso Nacional.

Leia o pronunciamento completo de Toffoli.

"Sociedades livres e desenvolvidas nunca prescindiram de instituições sólidas para manter a sua integridade. Não existe democracia sem um Parlamento atuante, um Judiciário independente e um Executivo já legitimado pelo voto. O Brasil não pode conviver com um clima de disputa permanente. É preciso paz para construir o futuro. A convivência harmônica entre todos é o que constrói uma grande nação".

Política