PUBLICIDADE
Topo

Positivo para coronavírus, senador esteve com Maia, Alcolumbre e Mandetta

Nelsinho Trad (PSD-MS) aparece no canto inferior direito, de terno azul-marinho, olhando para a câmera - Reprodução/Instagram
Nelsinho Trad (PSD-MS) aparece no canto inferior direito, de terno azul-marinho, olhando para a câmera Imagem: Reprodução/Instagram

Anaís Motta e Luciana Amaral

Do UOL, em São Paulo e Brasília

13/03/2020 23h15Atualizada em 14/03/2020 00h30

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS), que confirmou ter testado positivo para coronavírus, participou de audiência no Congresso Nacional e esteve com os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), na última quarta-feira (11). Na foto acima, é possível ver Trad no canto inferior direito, de terno azul-marinho, olhando em direção à câmera.

Como presidente da CRE (Comissão de Relações Exteriores) do Senado, ele comandou a primeira reunião da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul neste ano. Na manhã seguinte, quinta-feira, quando acontecem as reuniões regulares da CRE, a comissão não ocorreu por falta de quórum.

Ainda na quarta-feira, à tarde, Trad foi ao plenário da Câmara dos Deputados, onde acontecia sessão conjunta do Congresso.

À noite, ele participou de reunião convocada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para pedir R$ 5 bilhões aos parlamentares a serem investidos em ações de combate ao coronavírus. Além de Mandetta, Maia e Alcolumbre, estavam na reunião o ministro da Economia, Paulo Guedes, e mais de 35 senadores e deputados federais.

Na quinta, vários parlamentares ainda circulavam pelo Congresso, apesar da movimentação mais tranquila.

O senador, que esteve com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos Estados Unidos, se submeteu a exames após o anúncio de que Fábio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação do governo, também foi infectado. Em nota, ele disse estar isolado e seguindo todas as orientações médicas. "Não há de se agravar", espera.

Na quarta-feira, ainda não se sabia que Wajngarten estava infectado. Após vazamento para a imprensa, o Planalto só confirmou a situação do secretário no dia seguinte.

Congresso estuda suspender trabalhos

Antes mesmo da notícia sobre Trad, o Congresso Nacional já avaliava suspender todos os trabalhos a partir do final de março, a depender da propagação do coronavírus, segundo apurado pelo UOL. A análise foi informada por fontes de diferentes áreas do Senado.

Não há prazo para que um novo endurecimento na circulação de pessoas no Congresso aconteça, mas, se realmente se confirmar, será a partir de 23 de março por causa da tramitação de pautas com calendário apertado. Também não se sabe se a suspensão das atividades vai ter o apoio de todos os parlamentares.

Embaixador também tem covid-19

Trad, porém, não foi o único da comitiva de Bolsonaro a contrair a doença. Além de Wajngarten, o encarregado de negócios do Brasil em Washington, embaixador Nestor Forster, também testou positivo para coronavírus. Forster, que já estava em quarentena por medida de precaução, seguirá isolado por mais duas semanas.

Ao UOL, a assessoria da Embaixada do Brasil nos EUA informou que Forster "está muito bem, sem maiores sintomas", mas com acompanhamento médico.

O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, também viajou e foi examinado, mas testou negativo para coronavírus. A informação foi confirmada em nota pelo ministério.

Bolsonaro testou negativo

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro anunciou ter testado negativo para covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A informação foi publicada na página oficial de Bolsonaro no Facebook.

O presidente e todos os membros da comitiva que o acompanhou em viagem aos Estados Unidos. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro também passou pelo teste.

Os outros participantes da comitiva foram: os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) — que já testou negativo para o vírus — e Bento Albuquerque (Minas e Energia). Entre os senadores, além de Nelsinho Trad, estava Jorginho Mello (PL-SC), que também confirmou que não está doente.

O deputado e Daniel Freitas (PSL-SP), o assessor especial Filipe Martins e o presidente da Embratur, Gilson Machado, e o secretário especial de Pesca, Jorge Seif Júnior, também estiveram na viagem.

Política