PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Vereador que está com coronavírus fez festa para 200 pessoas no dia 7

Gabriel Azevedo, vereador de Belo Horizonte, está com coronavírus - Reprodução/Instagram
Gabriel Azevedo, vereador de Belo Horizonte, está com coronavírus Imagem: Reprodução/Instagram

Daniela Malmann

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

18/03/2020 15h37

Vereador de Belo Horizonte, Gabriel Azevedo (sem partido), que testou positivo para o novo coronavírus nesta terça-feira (17), deu uma festa de aniversário para mais de 200 pessoas no começo do mês. Além dele, 13 pessoas do convívio do político estão em quarentena, mesmo após exames terem dado negativo.

A festa ocorreu no dia 7 de março. O político comemorou seu 34º aniversário em uma festa com mais de 200 convidados em uma casa de eventos da capital mineira. Além dele, quatro familiares e oito funcionários do gabinete do político realizaram o teste. Segundo o parlamentar, apenas ele deu positivo para o coronavírus.

"O único positivo foi o meu. Não apresentava sintomas. E sigo sem apresentar sintomas. Todas as pessoas supracitadas estão isoladas. Estou em quarentena desde ontem", informou o vereador em sua rede social.

Na sexta-feira (13), o vereador teve contato com outras pessoas em um encontro no Mercado Central de Belo Horizonte. Ele alegou que não apresentava sintomas na ocasião. Porém, no dia seguinte, ele resolveu fazer teste por preocupação com os familiares acima de 60 anos, com quem convive. O exame deu positivo e ele está isolado desde então.

No final da manhã de hoje, Azevedo voltou a se manifestar nas redes sociais. "Hoje é o terceiro dia do meu isolamento. Não apresento nenhum sintoma. Nunca fiquei tanto tempo sem contato social na minha vida", desabafou o político ao postar uma foto da janela do prédio.

Quero compartilhar algo com vocês. Hoje é o terceiro dia do meu isolamento. Não apresento nenhum sintoma. Nunca fiquei tanto tempo sem contato social na minha vida. Conversei com mais outras pessoas contaminadas com o coronavírus em Belo Horizonte. Não as conhecia. Nunca tive contato com elas. Nenhuma sabe como se contaminou. Um médico está em estado grave num hospital (onde não estive). Os resultados ainda serão contabilizados. Todas chegaram a mim após saberem que eu estou contaminado. Todas choraram. Estão preocupadas. Acreditam que vão superar a doença, mas estão com medo pois parte das pessoas que souberam espalharam a informação de um jeito pejorativo. Começaram a estigmatizar quem contraiu o vírus. Pessoal, pior que estar contaminado é como essas pessoas passaram a ser tratadas... Não é um tempo fácil. Todavia, podemos extrair disso tudo ou o melhor de nós ou o pior de nós. Repito: sou resiliente. Não ligo, e quem me conhece sabe que não ligo mesmo de ser estigmatizado ou xingado. Sou um político. Se eu não soubesse ser ofendido era melhor ter me tornado outra coisa. Todavia, há muita gente que não sabe lidar com isso. E pode passar por problemas de ordem psicológica por toda a pressão e solidão. Sejamos empáticos. Nenhuma pessoa no planeta contraiu isso por que quis. Muitas ainda vão se contaminar. Outras já devem estar contaminadas sem saber. Vejam meu caso! Sigo sem sintomas e se não fosse o teste por precaução provavelmente estaria apenas em casa por segurança sem saber que estou contaminado. Não possuo religião, mas tenho uma fé inabalável na civilização. Acredito muito na capacidade do Homo sapiens prevalecer como espécie. Tratemos as pessoas como se fossem da nossa família, afinal somos todos da mesma família com alguns milênios de distribuição pelo planeta. Sejam empáticos com as pessoas contaminadas. Se não por empatia, por imaginar que um dia pode ser você. Reflitam. Não é hora de divisão. É hora de união.

Uma publicação compartilhada por Gabriel Azevedo (@gabrielazevedo) em

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado na primeira versão do texto, o vereador deu uma festa para 200 convidados no dia 7, e não no dia 12. O erro foi corrigido.

Coronavírus