PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Santos Cruz vai esperar 'oponentes' para definir apoio a Bolsonaro em 2022

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 16h26

O ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, afirmou que não quer definir agora se apoiará o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na possível reeleição em 2022.

"Eu vou esperar para ver quem são os oponentes. Não definiria meu voto agora. Tem que ver quem são os outros. Tem uma coisa que é a seguinte: 'vão acabar com a velha política e vamos fazer uma política nova'. Vamos ser claros do que se chama velha política, quais são os itens que não se aceitam mais e quais são as práticas que queremos implementar. Tem que ser clara. Se não, fica só no chavão do discurso e não sabe o que quer implementar. Uma nova política baseada em que? O que vamos tentar eliminar dos procedimentos anteriores? As coisas têm que ser mais racionais, não estamos discutindo as coisas importantes, nada com objetividade", disse em entrevista ao UOL.

De acordo com Santos Cruz, o Brasil "tem um monte de gente capaz" de ocupar a presidência.

"Não pode definir agora. Tem uma série de coisas que precisam ser definidas. Estamos perdendo o foco naquilo que é importante. O Brasil tem um monte de gente capaz. Temos governadores, líderes, um monte de gente que pode ocupar a posição. Vai depender da proposta. Eu faria parte de um governo, mas depende de qual governo", explicou o ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, que ainda lamentou os ataques entre os candidatos nas eleições de 2018.

"Tem que debater de maneira bem compreensiva para a população. O que aconteceu na eleição anterior? Foi uma briga, não teve debate de proposta. Assistiu briga, tentativa de assassinato do Bolsonaro. Conseguimos fazer uma eleição onde não teve debate. As entrevistas dos candidatos acabaram virando um palco de briga. Vamos ver se na próxima temos um ponto mais de discussão consciente. Gente no Brasil não falta."

Por fim, Santos Cruz ainda não descartou se candidatar a um cargo político nas próximas eleições, mas não revelou quais são as intenções. "Não descarto, não. Ainda não está na hora da decisão", declarou.

Política