PUBLICIDADE
Topo

Política

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Schelp: Se sair, Moro pode recuperar brilho e popularidade que tinha antes

Do UOL, em São Paulo

24/04/2020 04h00

A decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, ocupada pelo delegado Maurício Leite Valeixo, criou uma crise com Sergio Moro, ministro da Justiça, com a possibilidade de uma saída do governo.

No podcast Baixo Clero #33, Diogo Schelp analisa diferentes cenários para a possibilidade de saída de Moro do governo, com a possibilidade de ganho político para o ministro visando as eleições presidenciais de 2022, além do enfraquecimento de Bolsonaro na presidência.

Schelp cita outros momentos em que Moro teve a possibilidade de sair do Ministério da Justiça devido ao descontentamento de Bolsonaro com ações da Polícia Federal, além da popularidade do ministro visto como potencial candidato a concorrer pela presidência em 2022.

"Sérgio Moro é mais popular do que o Bolsonaro e o Bolsonaro, por causa disso, sempre viu o Moro como um possível adversário para 2022. Então ele sempre ficou acenando com a cenoura do STF, uma vaga no STF para o Sérgio Moro porque em novembro desse ano o ministro Celso de Mello se aposenta e abre uma vaga", afirma o jornalista (disponível no arquivo acima a partir de 2:20).

"As opções que o Moro tem caso ele realmente saia do governo são as seguintes: digamos que o Bolsonaro prometa a ele a vaga no STF para sair amigavelmente desde que não saia atirando, o Moro pode acreditar na promessa e esperar até novembro para ver se se cumpre. E se não se cumpre, ele vai para o plano B, que seria 2022. Lembrando que o Moro falou várias vezes que ele se sente mais confortável, não sei até que ponto isso é só da boca para fora, mas se sentiria mais confortável com a opção do STF", aponta Schelp.

O jornalista aponta também para uma queda de popularidade de Moro desde que iniciou seu trabalho no governo Bolsonaro e acredita que ele poderia recuperar em caso de um afastamento mais drástico em relação ao presidente.

"Se ele sai numa situação desconfortável, brigando, tensa com o Bolsonaro, ele pode sair com liberdade para dizer o que quer e recuperando talvez o brilho e popularidade que ele tinha antes, já que nos últimos meses tudo o que ele fez foi engolir sapo. Ele passa a ter um crescimento na estatura, digamos assim, política para poder pensar em algo maior para 2022", analisa Schelp.

Baixo Clero está disponível no Spotify, na Apple Podcasts, no Google Podcasts, no Castbox, no Deezer e em outros distribuidores. Você também pode ouvir o programa no YouTube. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Política