PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro ignora recomendações, provoca aglomeração e abraça padre no RS

Bolsonaro abraça padre em visita à igreja em Porto Alegre - Reprodução/Facebook
Bolsonaro abraça padre em visita à igreja em Porto Alegre Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

30/04/2020 17h53

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ignorou recomendações feitas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), provocou aglomeração e abraçou um padre ao visitar uma igreja durante a sua passagem por Porto Alegre (RS).

Em vídeo, publicado pelo próprio presidente nas redes sociais, Bolsonaro aparece ao lado do sacerdote —identificado como padre Lucas— em frente às escadarias da Igreja Nossa Senhora das Dores. Sem máscaras, os dois se cumprimentam e trocam abraços, contrariando assim a orientação de distanciamento social da OMS e do próprio Ministério da Saúde.

Antes, no entanto, Bolsonaro fez questão de cumprimentar apoiadores que o acompanhavam em sua visita e gritaram repetidamente: "Mito, mito". Houve tumulto e aglomeração. (Assista aos dois vídeos abaixo)

Bolsonaro em Porto Alegre - FERNANDO ALVES/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO - FERNANDO ALVES/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO
Bolsonaro em Porto Alegre
Imagem: FERNANDO ALVES/THENEWS2/ESTADÃO CONTEÚDO

Bolsonaro chegou a Porto Alegre nesta quinta-feira e foi recebido com panelaços e gritos de "Fora Bolsonaro". A manifestação foi observada em bairros como Cidade Baixa e Centro, onde Bolsonaro esteve participando da cerimônia de transmissão de carga do comandante do Comando Militar do Sul (CMS).

O coronavírus pode ser transmitido pelo contato com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse e catarro.

O Rio Grande do Sul registra, até agora, 1.466 casos oficiais confirmados do novo coronavírus e 51 mortes em decorrência da doença. No Brasil são mais de 85 mil casos confirmados 5,9 mil óbitos.

Outros episódios

Esta não foi a primeira vez que Bolsonaro descumpriu orientações e provocou aglomeração.

No início de abril, o mandatário decidiu fazer um passeio em Brasília, parou em uma farmácia para, segundo ele, "comprar medicamento". Consequentemente, Bolsonaro foi cercado por vários repórteres e apoiadores que o aguardavam no local.

No dia 19, Bolsonaro voltou a descumprir as regras, provocou aglomeração em frente ao Quartel General do Exército, na capital federal, e se dirigiu aos manifestantes do alto de uma caminhonete, em uma manifestação que pedia o fechamento do Congresso e intervenção militar em Brasília

As atitudes de Bolsonaro vão na contramão de orientação da OMS (Organização Mundial de Saúde), que recomenda manter distância mínima de 1 metro para evitar o alastramento do covid-19.

Política