PUBLICIDADE
Topo

Ofendido de 'estrume' por Bolsonaro, Witzel diz: 'É como ele próprio se vê'

Do UOL, em São Paulo

22/05/2020 20h00

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC-RJ), reagiu ao fato de ter sido chamado de "estrume" por Jair Bolsonaro (sem partido) na reunião ministerial do dia 22 de abril, que foi divulgada em vídeo hoje.

"A falta de respeito de Bolsonaro pelos poderes atinge a honra de todos. Sinto na pele seu desapreço pela independência dos poderes. E espero que num futuro breve o povo brasileiro entenda que, do que ele me chama, é essencialmente como ele próprio se vê", escreveu o governador no Twitter.

Witzel não foi o único político brasileiro ofendido pelo presidente da República durante a reunião. Na mesma frase em que tratou o governador do Rio como "estrume", Jair Bolsonaro também chamou João Doria (PSDB), governador de São Paulo, de "bosta".

Os xingamentos aparecem no vídeo que teve sigilo retirado hoje pelo ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), relator de inquérito que apura suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

Doria também usou o Twitter para reagir às ofensas feitas pelo presidente.

"O Brasil está atônito com o nível da reunião ministerial. Palavrões, ofensas e ataques a governadores, prefeitos, parlamentares e ministros do Supremo, demonstram descaso com a democracia, desprezo pela nação e agressões à institucionalidade da Presidência da República", disse Doria no Twitter. "Lamentável exemplo em meio a maior crise de saúde da história do país e diante de milhares de vítimas", completou.

Veja os vídeos da reunião ministerial:

Política