PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro põe apoiadores dentro do Alvorada para não falar com imprensa

Presidente conversa com apoiadores dentro do Alvorada - Reprodução/CNN
Presidente conversa com apoiadores dentro do Alvorada Imagem: Reprodução/CNN

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 09h00Atualizada em 01/06/2020 10h20

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu hoje receber alguns apoiadores dentro dos seus limites no Palácio da Alvorada. As pessoas que normalmente se aglomeram próximas à imprensa, na entrada do Palácio, foram convidadas a passar pela grade que separa o espaço e recebidas por Bolsonaro no jardim.

Ao deixar o carro para falar com os apoiadores, o presidente justificou que permitiu a entrada para não se dirigir aos jornalistas que ficam em frente ao palácio.

"A imprensa agora não vai poder dizer mais que estou agredindo ela", disse Bolsonaro, aplaudido pelos apoiadores. "Vou conversar com o povo porque esse pessoal aí não... se transmitisse a verdade tudo bem, mas deturpando, inventam..."

Na semana passada, UOL, Folha de S.Paulo, grupo Globo, Band e o site Metrópoles anunciaram que não enviarão jornalistas ao Palácio da Alvorada por falta de segurança. Os jornalistas foram alvos de ofensas e hostilidades dos apoiadores de Bolsonaro nas semanas anteriores.

Dezenas de pessoas adentraram para conversar de perto com o presidente, a maioria de máscaras, assim como Bolsonaro. Os apoiadores, porém, se aglomeraram em torno do presidente para uma conversa informal, contrariando as orientações das autoridades sanitárias de distanciamento social pela pandemia do coronavírus. O presidente chegou a ficar abraçado a um cadeirante.

A atitude incomum de Bolsonaro vem um dia após o presidente andar de helicóptero e fazer um passeio a cavalo durante as manifestações em Brasília a seu favor e contra o STF (Supremo Tribunal Federal). Primeiro, o presidente sobrevoou o protesto na aeronave, e depois passeou a cavalo, sem máscara, acenando a apoiadores.

Sobre sua participação em mais um ato antidemocrático, o mandatário disse apenas que foi prestigiar quem o apoia.

"Não sou dono de grupo não coordeno nada. Eu apenas compareço. Só vou prestigiar vocês que estão me apoiando. É um movimento limpo, pela democracia, pela lei, pela ordem. Eu apenas compareço, não conheço ninguém desses grupos", disse hoje no Alvorada.

Anteontem, Bolsonaro havia viajado para Abadiânia (GO), cidade próxima a Brasília. Acompanhado por aliados como o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), o presidente conversou com pessoas nas ruas, comeu numa lanchonete e tirou fotos com apoiadores.

O presidente também foi fotografado e apareceu em vídeos que circularam nas redes sociais num churrasco ao lado do cantor Amado Batista. Todos no evento estavam sem máscaras e desrespeitando as orientações de isolamento social.

Um dos presentes no churrasco era o ex-senador Wilder Morais, hoje secretário de Indústria, Comércio e Serviços do governador Ronaldo Caiado (DEM) em Goiás.

Política