PUBLICIDADE
Topo

Política

Ministros reagem após fogos contra prédio do STF: 'lei será aplicada'

O ministro do STF Alexandre de Moraes é relator do inquérito sobre ameaças ao tribunal - Rosinei Coutinho/STF
O ministro do STF Alexandre de Moraes é relator do inquérito sobre ameaças ao tribunal Imagem: Rosinei Coutinho/STF

Felipe Amorim e Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

14/06/2020 17h22Atualizada em 14/06/2020 18h27

Após manifestantes lançarem fogos de artifício contra o prédio do STF (Supremo Tribunal Federal), na noite de ontem, o presidente da corte, ministro Dias Toffoli, afirmou que o tribunal "jamais se sujeitará" a "nenhum tipo de ameaça".

Em nota divulgada hoje, Toffoli afirma ainda que os ataques ao STF tem sido "financiados ilegalmente" e estimulados "por integrantes do próprio Estado"

O ministro Alexandre de Moraes, em publicação nas redes sociais, comparou o ato à ação de " verdadeiras organizações criminosas" e afirmou que "a lei será rigorosamente aplicada". Moraes é relator no tribunal do chamado inquérito das fake news, que apura ataques, ameaças e ofensas a ministros do STF.

O ministro do STF e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luis Roberto Barroso, disse que há diferença entre militância e bandidagem.

No sábado, um grupo de manifestantes lançou fogos de artifício contra o prédio do STF. A ação foi realizada após o governo Distrito Federal desmontar um acampamento de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) instalado na região da Esplanada dos Ministérios.

Na tarde de ontem, um grupo já havia invadido a laje do Congresso Nacional e a Polícia Legislativa foi acionada para retirar os manifestantes do local.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, um homem faz ameaças aos ministros do Supremo durante a queima dos fogos: "Se preparem, Supremo dos bandidos, aqui é o povo que manda", diz ele na gravação.

Os atos levaram o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), a decretar o fechamento da Esplanada dos Ministérios para veículos e pedestres nesse domingo.

Veja a íntegra da nota de Toffoli:

"Infelizmente, na noite de sábado, o Brasil vivenciou mais um ataque ao Supremo Tribunal Federal, que também simboliza um ataque a todas as instituições democraticamente constituídas.

Financiadas ilegalmente, essas atitudes têm sido reiteradas e estimuladas por uma minoria da população e por integrantes do próprio Estado, apesar da tentativa de diálogo que o Supremo Tribunal Federal tenta estabelecer com todos - Poderes, instituições e sociedade civil, em prol do progresso da nação brasileira.

O Supremo jamais se sujeitará, como não se sujeitou em toda a sua história, a nenhum tipo de ameaça, seja velada, indireta ou direta e continuará cumprindo a sua missão.

Guardião da Constituição, o Supremo Tribunal Federal repudia tais condutas e se socorrerá de todos os remédios, constitucional e legalmente postos, para sua defesa, de seus Ministros e da democracia brasileira.

Ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal"

Política