PUBLICIDADE
Topo

Política

Sem máscara, Bolsonaro gera aglomerações na Paraíba e em Pernambuco

O presidente Jair Bolsonaro gerou aglomeração em aeroporto de Campina Grande, na Paraíba  - Reprodução/Facebook
O presidente Jair Bolsonaro gerou aglomeração em aeroporto de Campina Grande, na Paraíba Imagem: Reprodução/Facebook

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

01/10/2020 10h03Atualizada em 01/10/2020 15h46

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) gerou aglomerações hoje em Campina Grande, na Paraíba, e, depois, em São José do Egito, em Pernambuco. Em escala na cidade paraibana, o presidente foi para a entrada do aeroporto cumprimentar apoiadores que o esperavam para vê-lo e tirar fotos.

Da escala em Campina Grande, Bolsonaro seguiu de helicóptero para São José do Egito para participar da inauguração da segunda etapa do sistema adutor do Pajeú. O presidente chegou a registrar a aglomeração nas redes sociais.

Em ambas as cidades, o presidente não usou máscara de proteção facial, cujo uso é recomendado por especialistas para conter a propagação do coronavírus, assim como boa parte dos apoiadores. Ele também encostou nas pessoas.

Mais tarde, Bolsonaro visitou obras do Ramal do Agreste, em Sertânia.

Bolsonaro estava acompanhado do ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Também estiveram presentes na agenda oficial em Pernambuco o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e o diretor-geral do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas), Fernando Leão, entre outros políticos aliados, como o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

O presidente Jair Bolsonaro  desembarca no aeroporto de Campina Grande, na Paraíba, para pegar o helicóptero em direção a São José do Egito (PE) - Leonardo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo - Leonardo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro desembarca no aeroporto de Campina Grande, na Paraíba, para pegar o helicóptero em direção a São José do Egito (PE)
Imagem: Leonardo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

Segundo o Dnocs, responsável pela obra no sistema adutor do Pajeú, foram investidos R$ 245 milhões do governo federal e quase 100 mil pessoas passarão a ser abastecidas com água do eixo leste do projeto de integração do rio São Francisco. A primeira etapa do sistema está em operação desde 2014.

Política