PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro vira 'atendente' da Caixa em agência-barco no Pará

Presidente fez as vezes de atendente do banco estatal no Pará - Reprodução/TV Brasil
Presidente fez as vezes de atendente do banco estatal no Pará Imagem: Reprodução/TV Brasil

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

09/10/2020 08h12Atualizada em 09/10/2020 10h14

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu continuidade hoje à agenda de viagens —intensificada nos últimos meses com foco na reeleição em 2022— e visitou a agência-barco da Caixa Econômica Federal responsável pelo atendimento na Ilha do Marajó, no Pará.

Durante a atividade, o governante encarnou o papel de atendente e, ao lado do presidente do banco, Pedro Guimarães, auxiliou no guichê um casal beneficiário do auxílio emergencial, o programa de socorro financeiro criado durante a pandemia do coronavírus.

Bolsonaro e Guimarães não usavam máscaras, segundo é possível observar nas imagens transmitidas pelos canais oficiais de comunicação. Por outro lado, praticamente todos os outros presentes na agência-barco durante a agenda estavam com o item de proteção, fundamental na prevenção ao coronavírus.

Inaugurada em 2014, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a agência-barco da Caixa está atracada no porto da cidade de Breves. Na manhã de hoje, o presidente ainda cumprirá mais uma agenda na localidade, a cerimônia de apresentação do programa Abrace o Marajó, marcada para 9h.

Assim como nas viagens realizadas anteriormente, a passagem de Bolsonaro pelo Pará se dá em clima de campanha eleitoral.

O auxílio emergencial, benefício pago aos cidadãos que tiveram maior impacto de renda em decorrência da pandemia, é uma das circunstâncias que proporcionaram a Bolsonaro o aumento recente de popularidade e dos índices de aprovação do governo.

Isso tem sido observado, de acordo com as pesquisas, em especial no Nordeste. A região possui parcela majoritária de beneficiários de programas sociais e é tradicionalmente taxada de reduto eleitoral do PT, partido adversário do atual presidente.

Política