PUBLICIDADE
Topo

Política

Ministério da Justiça inclui André do Rap em lista de procurados

André de Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, líder do PCC, ao ser detido em Angra dos Reis - Arquivo pessoal
André de Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, líder do PCC, ao ser detido em Angra dos Reis Imagem: Arquivo pessoal

Do UOL, em São Paulo

13/10/2020 21h06

O MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) incluiu hoje o traficante André do Rap na lista de Procurados Nacional. André, acusado de ser um dos chefes do PCC (Primeiro Comando da Capital), foi liberado da prisão no sábado, após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) e é considerado foragido.

De acordo com o MJSP, a Lista de Procurados Nacional é estratégica para o enfrentamento às organizações criminosas. André é acusado de vários crimes ligados ao tráfico internacional e foi condenado, em 2014, pelo envio de drogas por navio à Europa. Na época, ele teve prisão decretada em razão dos crimes de tráfico transnacional de entorpecentes e associação ao tráfico, por envolvimento no transporte de aproximadamente quatro toneladas de cocaína.

A soltura de André do Rap

André deixou a penitenciária de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, na manhã de sábado (10), após o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio Mello, acatar dois pedidos de habeas corpus e determinar sua soltura.

Segundo a liminar do ministro, André do Rap estava preso sem uma sentença condenatória definitiva, excedendo o limite de tempo previsto na legislação brasileira.

A decisão foi suspensa pelo presidente da Corte, Luis Fux, na noite de sábado. Fux atendeu pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República), que argumentou que a liminar violava a ordem pública. Em despacho, ele disse que André era um preso de "altíssima periculosidade, com dupla condenação em segundo grau por tráfico transnacional de drogas, investigado por participação de alto nível hierárquico em organização criminosa (Primeiro Comando da Capital - PCC) e com histórico de foragido por mais de 5 anos".

O colunista do UOL, Josmar Jozino, apurou que André fugiu para fora do país na noite de sábado. Ele prometeu às autoridades ir para casa, no Guarujá, litoral paulista, após deixar o presídio. No entanto, investigadores afirmaram que ele seguiu de carro para Maringá, no Paraná — a suspeita é que ele tenha embarcado em um avião particular até o Paraguai.

Política