PUBLICIDADE
Topo

Política

ACM Neto: Eleições mostraram que a 'nova política' ficou velha cedo demais

Carolina Marins e Felipe Oliveira

Do UOL, em São Paulo

08/12/2020 17h50

Para o prefeito de Salvador, ACM Neto, as eleições municipais de 2020 mostraram que a chamada "nova política", tanto falada em 2018, ficou velha muito rápido. Segundo ele, a população rechaçou neste ano o discurso da antipolítica e deixou um recado para as eleições de 2022. A declaração foi dada durante entrevista ao colunista do UOL Tales Faria.

A tal nova política ficou velha cedo demais, o eleitor mostrou isso nas urnas esse ano, optando por um perfil que tenha mais experiência, capacidade de gestão, liderança, articulação política, quadros já conhecidos da vida pública nacional.
ACM Neto, prefeito de Salvador

Segundo ele, esse comportamento do eleitor dá sinais do que se pode esperar para as eleições presidenciais de 2022. "Quem quiser estar forte na eleição para presidente e governos estaduais vai ter que mostrar liderança, capacidade de gestão, realização para as pessoas. Acho que a aposta nos extremos vai ser derrotada. Quem apostar naquele eleitor mais ideológico, pautado no debate de costume, ou seja, uma militância política mais fervorosa, quem apostar nisso vai cair do cavalo e perder a aposta."

Para mim, em 2018, não foi a extrema-direita que ganhou eleição, foi o PT que perdeu antes de tudo.

Observando essa mudança das vontades do eleitorado, o prefeito diz que o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai ter que repensar a sua estratégia de campanha se quiser se reeleger. "Não adianta imaginar uma polarização como 2018, que vai ter o PT dominando um canto e Bolsonaro outro", disse ele.

"O presidente pode pensar em reformular sua estratégia tendo uma posição mais equilibrada, de diálogo, vindo mais para uma postura de moderação. Ele vai fazer isso? Não sei. O julgamento se dará pelos quatro anos de governo, então é cedo para se fazer um julgamento definitivo do que é o governo Bolsonaro, mas sem dúvida os próximos dois, caso queira ter êxito em 2022, precisam ser bem diferente do que foram esses dois primeiros."

Desorganização do governo

O prefeito criticou o governo do presidente Jair Bolsonaro no que chamou de "desorganização", principalmente sobre as articulações com o legislativo para promover reformas e nos gastos durante a pandemia. Para isso, ele elogiou o seu colega de partido e atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), chamando-o de reformista.

Rodrigo Maia não tem responsabilidade pela paralisação da agenda de votações no congresso, muitas vezes essa paralisação se deu por uma desorganização da base do governo. Na minha opinião, o governo precisa mudar sua articulação política.

"O presidente precisa ter estratégia consistente de articulação politica, ele precisa se envolver Se a gente tiver nos próximos dois anos uma relação mais sólida do Executivo com o Legislativo, a gente vai conseguir atravessar esse momento de mais dificuldade, caso contrário, sabe aquela tese que a gente olha para o buraco, pensa que chegou no final dele, mas depois percebe que é mais fundo? O buraco pode ser mais fundo se não houver uma organização nessa relação do Executivo com Legislativo".

Futuro na política

Questionado sobre seu futuro na política, já que está deixando o cargo de prefeito de Salvador depois de dois mandatos para o seu sucessor recém-eleito, Bruno Reis (DEM), ACM Neto apontou seu desejo de concorrer ao cargo de governador na Bahia. "O mais provável é que meu projeto esteja na Bahia, que eu trabalhe para construir uma candidatura ao governo do estado, mas não quero descartar inteiramente minha contribuição ao projeto nacional."

No entanto, ele deixou a decisão para ser tomada pelo partido e voltou a elogiar a liderança de Rodrigo Maia. "Alguém que passou seis anos na presidência da Câmara e se tornou um dos principais articuladores políticos do país, eu diria que o Rodrigo hoje tem uma melhor capacidade de articulação política no país, com trânsito em diversos setores da política e de fora da política, então Rodrigo vai ter papel preponderante, vai ser voz ouvida e respeitada não só dentro do DEM, mas ajudando na construção com outros partidos olhando esse projeto e perspectiva de 2022."

Também questionado sobre as possibilidades de apoio do partido para candidaturas como a de João Doria (PSDB) ou uma aliança com Ciro Gomes (PDT) para as eleições de 2022, ACM Neto preferiu não responder diretamente, embora tenha dito que nada está descartado no caso de Ciro Gomes.

"Nesse momento a gente não quer descartar nenhuma possibilidade que faça sentido do ponto de vista ideológico e projeto futuro e visão futura comum com o Brasil. Em relação ao PDT, hoje o Democratas está muito mais próximo ao PDT do que esteve há dois anos nas eleições de 2018."

Pandemia e Carnaval

O prefeito voltou a afirmar que o Carnaval de 2021 em Salvador está suspenso até que haja uma vacina. Além disso, criticou o que chamou de "politização" da vacina, como vê acontecendo agora.

Qualquer disputa política nesse tema tem que ser condenada. Não pode nem de um lado o governo federal nem governos estaduais quererem tirar proveito político desse tema. Tem que todo mundo dar as mãos e ter uma ampla união nacional para que a vacinação aconteça o quanto antes.

Sua crítica foi mais enfática no caso do governo federal, que ainda não tem um plano de vacinação detalhado. "O planejamento do governo federal está atrasado, era importante que houvesse maior transparência, diálogo com governadores e prefeitos. Sempre defendi que independente da origem da vacina, se é da China, da Rússia, do Reino Unido, dos EUA, se ela for segura, imunizar a população, ela tem que se tornar alvo de uma política pública nacional".

Política