PUBLICIDADE
Topo

Política

Capitão Augusto cita Severino Cavalcanti e diz que será "azarão" na Câmara

Deputado antevê tirar mais votos de Lira do que do bloco de Maia - Will Shutter/Ag.Câmara/13.mar.2019
Deputado antevê tirar mais votos de Lira do que do bloco de Maia Imagem: Will Shutter/Ag.Câmara/13.mar.2019

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

22/12/2020 20h18Atualizada em 22/12/2020 20h18

O líder da bancada da bala no Congresso, o deputado Capitão Augusto Rosa (PL-SP), diz acreditar que vai tirar mais votos de Arthur Lira (PP-AL), aliado de Jair Bolsonaro, do que o futuro candidato apoiado por Rodrigo Maia (DEM-RJ) nas eleições para o comando da Câmara, em fevereiro.

Ainda assim, ele afirma que não deixará de ser candidato nem se houver pedido do presidente da República. Em conversa com o UOL, Capitão Augusto se definiu como um pré-candidato de direita "super pé no chão" e "aliado de Bolsonaro", que "vai até o fim com o presidente", embora não seja "devoto de são Bolsonaro".

O deputado se vê como um "azarão", que corre por fora, mas que pode surpreender como fez em 2005 Severino Cavalcanti (morto em julho passado, aos 89 anos). Naquele ano, o político do baixo clero venceu líderes e caciques partidários na disputa pelo comando da Casa.

Em seus cálculos, o candidato do bloco de Maia, ainda não definido, é mais que favorito a ganhar as eleições, e o escolhido deverá ser Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). Capitão Augusto também aposta que Lira tem mais chances nas eleições para a Mesa da Câmara.

O presidente da Frente Parlamentar da Segurança calcula que tem hoje entre 70 e 80 votos dos 513 deputados — para ganhar no primeiro turno, é preciso quem obter 257 votos.

Seu partido, o PL fechou com Lira, mas como o voto é secreto o pré-candidato espera obter ao menos 15 votos da legenda. Da bancada de São Paulo, outros 15. Entre políticos bolsonaristas como ele, seriam cerca 30. Na bancada religiosa, 15 votos.

Sem dúvida nenhuma, o candidato de Rodrigo Maia, independente de quem seja, é o grande favorito, favoritíssimo. Em segundo, o Arthur Lira, e eu, correndo por fora, azarão. Pode dar uma surpresa
Capitão Augusto, presidente da bancada da bala

Para ele, as eventuais traições no grupo de Maia não incluirá a esquerda. "Por parte do Maia, se tiver traição, vai ser para votar em mim, não no Arthur. Eu acredito que eu tire mais votos do Arthur Lira porque meu partido está com ele e eu tenho muitos votos lá. Vários bolsonaristas já declararam que votam em mim."

Tirar mais votos de Lira significa prejudicar o candidato apoiado por Jair Bolsonaro e beneficiar o candidato de Maia, adversário do presidente da República. Mas Capitão Augusto afirma que isso não muda sua postura.

Ele disse que segue com a candidatura mesmo se houver pedidos de desistência por parte de Lira ou Bolsonaro. "Não [saio], mesmo o governo pedindo. Eu não faço ninguém ganhar ou perder."

Bolsonaro saiu candidato várias vezes. Ele sabe que eu tenho essa vontade. Eu vou com minha candidatura até o final
Capitão Augusto

O deputado acredita na força do voto secreto e das bancadas temáticas, como a religiosa, da segurança pública e do combate à corrupção. "Voto secreto, 300 novos deputados, bancada renovada... Pode haver surpresas. No passado, elegeram até Severino da vida, que ninguém esperava."

Política