PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
11 meses

Vice-presidente Hamilton Mourão recebe diagnóstico de covid-19

O vice-presidente recebeu o teste positivo na tarde de hoje - Francisco Stuckert/Fotoarena/Estadão Conteúdo
O vice-presidente recebeu o teste positivo na tarde de hoje Imagem: Francisco Stuckert/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

27/12/2020 20h19

O general Hamilton Mourão (PRTB), vice do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), recebeu hoje o diagnóstico positivo para a covid-19. Em nota, a assessoria afirma que o diagnóstico foi confirmado à tarde, e que Mourão ficará em isolamento no Palácio do Jaburu.

Não foram divulgados detalhes sobre o estado de saúde do general ou se ele apresentou sintomas. Aos 67 anos de idade, ele é considerado parte do grupo de risco para o novo coronavírus.

"Na tarde de hoje, domingo, 27 de dezembro foi confirmado o teste positivo para o covid 19 do Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, que permanecerá em isolamento na residência oficial do Jaburu."

Mourão já havia feito um teste para covid-19 em maio depois que um servidor público com quem teve contato ter sido infectado pelo novo coronavírus. O resultado foi negativo. À época, sua esposa, Paula Mourão, também foi testada, e a contraprova não indicou a presença do vírus. Até o momento, o Jaburunão confirmou se Paula foi novamente testada ou não.

Há um mês, o vice-presidente cancelou uma viagem a Criciúma, em Santa Catarina, citando preocupação com os efeitos da pandemia do coronavírus no município.

No início do mês, ele admitiu que o governo poderia ter dado diretrizes mais claras sobre o isolamento e as medidas sanitárias por conta da pandemia de covid-19.

"Dentro deste mundo que estamos vivendo, do tribalismo excessivo, houve uma paixonite política em cima disso. Desde os aspectos mais simples: é isolamento total, é vertical, é hidroxicloroquina, não é hidroxicloroquina, é vacina da China, não é vacina da China. Algo totalmente desproporcional, ineficaz e prejudicial às necessidades que o país tinha de como combater a pandemia", afirmou.

Coronavírus no governo Bolsonaro

Mourão não é o único integrante do governo Bolsonaro infectado pelo novo coronavírus. O próprio presidente contraiu o vírus em julho.

Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência, recebeu o diagnóstico em março. Depois dele, também tiveram teste positivo os ministros Eduardo Pazuello (Saúde), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Walter Souza Braga Netto (Casa Civil), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Milton Ribeiro (Educação), Marcelo Álvaro Antônio (ex-Turismo), Bento Albuquerque (Minas e Energia) e André Mendonça (Justiça).

Além deles, foram contaminados Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência da República), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), e Fábio Faria (Comunicações).

O vírus também afetou os outros poderes: o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), e o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, também tiveram covid-19.

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.