PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
9 meses

Ciro sobre mansão de Flávio Bolsonaro: 'Eles compraram as instituições'

Do UOL, em São Paulo

08/03/2021 11h47

O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) disse hoje durante o UOL Entrevista, comandado pelo colunista Kennedy Alencar, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) corrompeu os filhos, citando a compra de uma casa em Brasília de R$ 6 milhões pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

O Bolsonaro só é valente até a hora que a gente encara ele, eu conheço o Bolsonaro, isso é um frouxo de longa data. Picareta, frouxo, bandido, ele que corrompeu os filhos, as mulheres. Esse filho dele comprou a mansão de R$ 6 milhões uma hora dessas. Significa sabe o quê? Na cabeça dele, eles compraram as instituições. E está funcionando para eles.
Ciro Gomes

Ciro relembrou decisão da Quinta Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que, em fevereiro, por 4 votos a 1, aceitou o pedido da defesa do senador para anular as quebras de sigilo bancário e fiscal do parlamentar e de outros 94 investigados no caso das "rachadinhas" no então gabinete do político na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). "Qual a explicação para a Quinta Turma do STJ anular evidências flagrantes, documentadas, de que o Flávio Bolsonaro é um ladrão que desviou mais de R$ 100 milhões de dinheiro público na Assembleia do Rio de Janeiro? Fica nossa mídia brincando, chamando de rachadinha, o nome disso é peculato", disse ele.

Flávio foi denunciado sob acusação de ter articulado uma organização criminosa de lavagem de dinheiro em seu gabinete na Alerj. Segundo o Ministério Público, foram desviados R$ 6 milhões dos cofres públicos. Fabrício Queiroz, ex-assessor, é apontado pelos investigadores como operador do esquema juntamente com sua esposa, Márcia Aguiar — ambos estão em prisão domiciliar.

O ex-ministro citou ainda o fato de que o cartório onde o senador registrou a compra da casa escondeu informações da escritura pública do imóvel, documento com os dados do negócio que deveria ser acessível a qualquer pessoa que o solicitar.

"Isso tudo está passando na frente da cara do senhor [Augusto] Aras [procurador-geral da República], do [Arthur] Lira [presidente da Câmara]. Do Lira eu não espero nada, porque o Lira está trocando a imunidade dele próprio. O Lira é um bandido, todo mundo conhece o Lira. Não é o caso do [Rodrigo] Pacheco [presidente do Senado]. Nós, por exemplo, do PDT votamos nele, e espero que a gente não se arrependa. Eu ainda acho que ele ainda tem que entender, grande mineiro que é, que seu dever de lealdade com Minas Gerais e com o Brasil é muitas vezes maior do que a vontade que ele tem de ser agradável ao Bolsonaro", acrescentou Ciro.

Flávio alegou que vendeu um imóvel no Rio de Janeiro e por isso obteve recursos para fazer o novo investimento. No entanto, a coluna de Juliana Dal Piva no UOL verificou que os dois imóveis do senador na capital fluminense continuam em seu nome e de sua mulher, a dentista Fernanda Bolsonaro.

Política